Quatro meses depois, Estado ainda não entrou no SIRESP

  • ECO
  • 27 Fevereiro 2018

O Governo de António Costa anunciou em outubro que iria entrar no capital da empresa que gere a rede de comunicações de emergências. Mas o Executivo ainda não deu passos concretos nesse sentido.

O Governo anunciou em outubro que iria entrar no capital da empresa que gere a rede de comunicações de emergências. Mas, quatro meses depois, o Executivo ainda não deu passos concretos nessa direção. O Ministério das Finanças garante que o “Governo está a promover ativamente todas as diligências necessárias”.

O Público (acesso condicionado) escreve que para entrar no capital do SIRESP é necessário realizar duas operações financeiras: fazer uma proposta de conversão dos créditos que tem na Galilei e adquirir as posições da Datacomp e da Esegur. Mas, quatro meses depois de o Executivo ter anunciado a intenção de entrar na empresa, ainda não foram apresentadas propostas.

O gestor de insolvência da Galilei — empresa da SLN – Sociedade Lusa de Negócios, a dona do BPN — esclarece que “tem conhecimento da intenção do Governo de resolver a situação referente ao SIRESP porquanto já existiram contactos para manifestar essa intenção”, avança o jornal. Contudo, o administrador judicial, Francisco Duarte, refere que “em termos práticos, ainda não foi apresentada uma proposta nesse sentido, pelo que não nos poderemos pronunciar sobre a viabilidade da operação”.

"O Governo está a promover ativamente todas as diligências necessárias para a assunção, pelo Estado, de uma posição na estrutura acionista da SIRESP – Gestão de Redes Digitais de Segurança e Emergência, SA.”

Ministério das Finanças

Já o Ministério das Finanças garante que “o Governo está a promover ativamente todas as diligências necessárias para a assunção, pelo Estado, de uma posição na estrutura acionista da SIRESP – Gestão de Redes Digitais de Segurança e Emergência, SA”.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Quatro meses depois, Estado ainda não entrou no SIRESP

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião