Repsol regista os lucros mais elevados dos últimos seis anos

  • Lusa
  • 28 Fevereiro 2018

Repsol regista um lucro de 2,12 mil milhões de euros, um aumento de 22%. Já o EBITDA foi de 6.723 milhões de euros, um aumento de 29% em relação a 2016 e o maior dos últimos cinco anos.

A multinacional espanhola Repsol teve um lucro de 2.121 milhões de euros em 2017, um aumento de 22 % em relação ao ano anterior, explicado pela sua flexibilidade e capacidade de adaptação aos preços mais baixos do crude e do gás.

Numa informação enviada à Comissão Nacional do Mercado de Valores (CNMV) espanhola, a empresa energética comunica que o benefício líquido ajustado, que mede a evolução dos negócios, cresceu 25%, para 2.405 milhões de euros. A petrolífera sublinha que os resultados alcançados são os mais elevados que a companhia alcançou nos últimos seis anos.

O resultado antes de impostos, juros, depreciações e amortizações (EBITDA) foi de 6.723 milhões de euros, um aumento de 29% em relação a 2016 e o maior dos últimos cinco anos.

A empresa explica que os resultados de 2017 refletem a “robustez do modelo integrado da companhia, a sua flexibilidade e capacidade de adaptação aos preços mais baixos do crude e do gás”.

(Os resultados de 2017 refletem a] robustez do modelo integrado da companhia, a sua flexibilidade e capacidade de adaptação aos preços mais baixos do crude e do gás.

Comunicada da Repsol à CNMV

O negócio de exploração e produção multiplicou por 12 os resultados de 2016, alcançando os 632 milhões de euros, ajudado por importantes descobrimentos de hidrocarbonatos e um aumento da produção para 695.000 barris diários equivalentes de petróleo.

O preço da ação da Repsol valorizou-se em 10% durante o exercício de 2017, o que significa uma subida na bolsa de 46% nos últimos anos.

A Repsol realça que a empresa se converteu na primeira do seu setor em todo o mundo a emitir um título verde certificado, destinado a financiar mais de 300 iniciativas sustentáveis.

Esta manhã a petrolífera estava a negociar, no Ibex, a cair 0,18% para 14,18 euros por ação.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Repsol regista os lucros mais elevados dos últimos seis anos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião