Grupo RNM investe 15 milhões na construção de novas instalações

Empresa líder na distribuição de produtos químicos vai investir 15 milhões de euros e contratar mais 24 trabalhadores.

O grupo RNM-Produtos Químicos, líder de mercado na distribuição de produtos químicos, vai investir 15 milhões de euros na construção de novas instalações. O objetivo é concentrar a atividade industrial e comercial da empresa aumentando a eficiência e potencial de crescimento, revela a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão.

A empresa familiar, liderada por Ricardo Machado, que começou por estar ligada ao setor têxtil vai assim concentrar as suas quatro áreas de negócio (RNM Produtos Químicos, RNM Transportes Químicos, RNM Logística e Tuebingen Chemical Company, especializada em produtos que apoiam os processos têxteis) nas mesmas instalações na freguesia de Landim, Vila Nova de Famalicão.

O grupo assegura soluções integradas ao nível da produção distribuição, logística e transporte de produtos químicos para os mais diversos setores de atividade e é um dos dez maiores operadores químicos da Península Ibérica. As suas atividades estavam espalhadas por vários pontos, entre os quais Santo Tirso e havia inclusive instalações alugadas.

Com um volume de faturação, em 2017, de 135 milhões de euros, o grupo emprega 215 colaboradores e vai contratar mais 24 colaboradores. Um número que deverá aumentar com o crescimento previsto para a empresa com este investimento.

Posicionando-se entre os dez maiores operadores de produtos químicos da Península Ibérica, o Grupo RNM aposta em alianças estratégicas entre produtores e clientes e em soluções logísticas de armazenagem e transporte rodoviário, ferroviário e marítimo.

A apresentação do novo projeto terá lugar durante a tarde da próxima quinta-feira nas atuais instalações da empresa, em Famalicão. A autarquia liderada por Paulo Cunha vai apoiar este investimento declarando-o de interesse público municipal, classificando-o como Projeto 2IN.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Grupo RNM investe 15 milhões na construção de novas instalações

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião