Carles Puigdemont foi detido na Alemanha

Ex-líder da Generalitat da Catalunha foi detido pela polícia alemã quando cruzou a fronteira com a Dinamarca. Estava a caminho da Bélgica, onde se encontrava exilado.

O ex-presidente da Generalita da Catalunha, Carles Puigdemont, terá sido detido este domingo na Alemanha, pouco depois de cruzar a fronteira da Dinamarca. A notícia foi revelada pelo advogado do líder do movimento independentista, numa mensagem publicada no Twitter: “O presidente Carles Puigdemont foi detido na Alemanha quando cruzava a fronteira vindo da Dinamarca”, escreveu.

Carles Puigdemont estava a regressar da Finlândia e seguia a caminho da Bélgica, onde se encontrava exilado. A notícia foi confirmada pela agência espanhola Efe e pela própria polícia alemã. É uma detenção que acontece na sequência de um mandado de detenção europeu e internacional emitido por parte do Supremo Tribunal Espanhol.

De acordo com o advogado Jaume Alonso-Cuevillas, o ex-presidente da Generalitat permanece retido pela polícia alemã. No Twitter, sublinha ainda que “o tratamento” dado ao político catalão “foi o correto em todos os momentos”. “O presidente dirigia-se para a Bélgica para estar, como sempre, à disposição da Justiça belga”, acrescentou. E confirmou: “A sua defesa jurídica já está ativada”.

Antes destas informações, o advogado de Puigdemont tinha vindo a público dizer que não sabia “exatamente” onde estava o seu cliente. Esta detenção surge dois dias depois da detenção de cinco dirigentes independentistas, acusados de sedição. Na altura, Jordi Turull, porta-voz do governo regional da Catalunha, considerou as detenções uma “provocação do Estado espanhol”. Segundo a SIC Notícias, Puigdemont deverá juntar-se aos dirigentes independentistas detidos.

(Notícia atualizada às 12h36 com mais informação)

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Carles Puigdemont foi detido na Alemanha

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião