Há mais de 3.700 entidades a quem pode consignar 0,5% do IRS. Saiba quais

  • Cristina Oliveira da Silva
  • 27 Março 2018

A lista já está publicada no Portal das Finanças e conta com mais de 3.700 entradas. Prazo de entrega do IRS começa no domingo e estende-se até 31 de maio.

Quer atribuir a uma instituição parte do seu IRS ou a dedução do IVA a que tem direito por exigir fatura em determinados setores? A Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) já disponibilizou a lista de entidades que podem ser abrangidas.

A lista, que pode ser consultada aqui (documento em Excel), conta com mais de 3.700 entradas, entre centros de apoio, casas de repouso, associações, cooperativas, entidades com fins ambientais ou culturais e outras. No ano passado, a listagem reunia quase 3.500 nomes.

O prazo para entregar ou confirmar a declaração de IRS começa no domingo e estende-se até 31 de maio. E o os contribuintes têm à sua disposição dois tipos de consignação, ainda que só uma seja isenta de custos. Desde logo, é possível consignar, sem qualquer perda, 0,5% do IRS liquidado a uma das instituições listadas. Neste caso, o montante que segue para a instituição é receita do Estado, não havendo custos para o agregado.

Além disto, os contribuintes também podem atribuir o benefício fiscal em sede de IVA a que têm direito por terem pedido fatura em setores específicos como restauração, alojamento, cabeleireiros ou mecânicos — mas neste caso, já terão de abdicar do valor em causa. Aqui, o contribuinte perde o direito à dedução à coleta relativa ao IVA suportado, uma vez que o valor é entregue à instituição.

Os dados referentes ao IRS 2016, entregue em 2017, revelam que os contribuintes doaram mais de 16 milhões de euros a 3.371 entidades no âmbito da consignação de IRS e IVA.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Há mais de 3.700 entidades a quem pode consignar 0,5% do IRS. Saiba quais

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião