Já pode pagar impostos no telemóvel. Saiba como funciona a app das Finanças

Contribuintes já podem descarregar aplicação da Autoridade Tributária para consultar ou regularizar situação fiscal através do telemóvel. Basta fazer download da app "Situação fiscal - Pagamentos".

Já se encontra disponível para download a aplicação oficial da Autoridade Tributária e Aduaneira para consultar ou regularizar a sua situação fiscal através do telemóvel. Basta descarregar a app “Situação fiscal – Pagamentos” no seu smartphone ou tablet que se encontra disponíveis para dispositivos da Apple ou da Samsung.

Já descarregou a app? Depois disso, basta preencher os seus dados pessoais — número de contribuinte e password de acesso ao portal das Finanças — para aceder às funcionalidades que a nova aplicação disponibiliza. Como, por exemplo, saldar eventuais dívidas fiscais através do telemóvel ou consultar a data limite para o fazer.

Ao contribuinte serão facultados os dados para pagamento através do MB Way — número fiscal, referência e importância — e, em poucos passos, terá a sua situação com o Fisco regularizada. Nota importante: também terá de fazer o download da app MB Way, da Sibs.

Com a nova aplicação, a partir de agora terá menos desculpas para se esquecer de pagar os impostos. Isto porque a aplicação vai identificar quais os pagamentos que tem falta.

A app vai permitir ainda consultar eventuais reembolsos que o contribuinte terá a receber do Estado. Uma funcionalidade que ganha maior interesse à medida que os portugueses se preparar para declarar à máquina fiscal os seus rendimentos e despesas com a entrega das suas declarações de IRS.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Já pode pagar impostos no telemóvel. Saiba como funciona a app das Finanças

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião