Mais de 450 mil contribuintes já entregaram o IRS em apenas dois dias

  • ECO
  • 3 Abril 2018

Cerca de 8% do total de contribuintes já entregou a declaração de IRS ao final do segundo dia. Prazo é até ao final de maio.

Em pouco mais de dois dias, mais de 452 mil contribuintes já entregaram a declaração de IRS, dos quais metade através do IRS automático. Os números foram disponibilizados, esta terça-feira, pelo ministro das Finanças, Mário Centeno.

Ao todo, de acordo com os dados avançados por Mário Centeno, que está a ser ouvido esta tarde na Comissão de Orçamento, Finanças e Modernização Administrativa, já declararam o IRS 452.195 contribuintes, o equivalente a mais de 8% do total de contribuintes. Destes, a maior parte é composta por contribuintes que, no ano passado, apenas auferiram rendimentos de trabalho dependente ou de pensões. E quase metade (265.252) entregou a declaração através do IRS automático.

O ministro das Finanças detalhou ainda que, em relação ao mesmo período do ano passado, o número de declarações de IRS subiu “mais de 20%”.

No domingo, o primeiro dia em que passou a ser possível fazer a declaração, já a tinham feito mais de 260 mil contribuintes. Metade destas diz respeito a declarações automáticas.

Este ano, o Governo espera reduzir o prazo de reembolsos, precisamente, graças ao IRS automático. “Temos a expectativa de que os prazos possam ser menores, uma vez que há mais gente com o IRS automático. No ano passado houve 800 mil pessoas e este ano pode haver três milhões”, disse António Mendonça Mendes, secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, na segunda-feira, citado pela Lusa. O responsável considerou “normal” o pico de afluência logo no primeiro dia, mas frisou que não é necessário “nem deixar tudo para a última hora, nem de fazer tudo no primeiro dia”.

Os contribuintes têm até ao final de maio para entregar a declaração de IRS sobre os rendimentos que auferiram em 2017. Este ano, e pela primeira vez, só poderão fazê-lo pela Internet.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Mais de 450 mil contribuintes já entregaram o IRS em apenas dois dias

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião