IGCP quer emitir até 2,5 mil milhões em operação sindicada

  • ECO
  • 11 Abril 2018

Está a decorrer hoje uma operação sindicada para levar a cabo uma emissão de dívida a 15 anos. O ECO sabe que a intenção é colocar entre dois e 2,5 mil milhões de euros. A taxa deve rondar os 2,3%.

Esta quarta-feira está a decorrer uma operação sindicada levada a cabo pelo IGCP, para emitir dívida a 15 anos. O ECO sabe que a intenção é colocar dois a 2,5 mil milhões de euros e que a taxa de juro deverá rondar os 2,3%.

De acordo com a informação avançada esta terça-feira pelo Jornal de Negócios, citando a Bloomberg, a Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública terá contratado seis bancos de investimento para levar a cabo esta emissão — Barclays, CaixaBI, Deutsche Bank, HSBC, Morgan Stanley e SG CIB. O ECO sabe que a taxa de juro deverá rondar os 2,3%, um valor aproximado ao adiantado pela agência de notícias, que a fixa em 2,3295%.

Ainda de acordo com o Negócios, citando a Bloomberg, as ordens já superam os 10 mil milhões de euros, incluindo 1,525 mil milhões de euros dos bancos que estão a organizar a operação.

Esta notícia surge depois de, na passada quinta-feira, o IGCP ter divulgado o calendário de emissões de dívida para o segundo trimestre do ano. No documento, o organismo liderado por Cristina Casalinho já previa a realização de operações sindicadas. “No próximo trimestre, o IGCP prevê emissões de OT através da combinação de sindicatos e leilões, sendo esperadas colocações de 1.000 a 1.250 milhões de euros por leilão”, dizia precisamente o IGCP.

O último leilão sindicado foi realizado em janeiro, com o IGCP a colocar quatro mil milhões de euros em títulos com maturidade em outubro de 2028. Na ocasião, o custo de financiamento foi o mais baixo de sempre.

(Notícia atualizada)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

IGCP quer emitir até 2,5 mil milhões em operação sindicada

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião