Concertos de rock, fogos-de-artifício ou até mesmo jogos de futebol podem fazer tremer a Terra

  • Rita Frade
  • 16 Abril 2018

Estudo, realizado por especialistas em sismologia, revela que a atividade sísmica sentida numa cidade pode ser provocada por concertos de rock, fogos-de-artifício ou até mesmo por jogos de futebol.

A atividade sísmica sentida numa cidade pode ser provocada por eventos culturais, como concertos de rock, fogos-de-artifício ou jogos de futebol. Esta é uma das principais conclusões de um estudo levado a cabo por uma equipa de investigadores do Instituto de Ciências da Terra Jaume Almera (ICTJA-CSIC), em Barcelona, e que foi apresentado terça-feira na Assembleia Geral da União Europeia de Geociências (UEG) em Viena, Áustria.

Tudo começou com a instalação de uma estação sísmica no Instituto, apenas para dar a conhecer aos visitantes a ciência da terra, durante feiras ou outros eventos. Mas, uma análise aos resultados obtidos permitiu concluir que a terra treme, cada vez que os adeptos festejam um golo nas bancadas, isto porque o edifício do centro de investigação fica perto do estádio de futebol do Barcelona (Camp Nou).

De acordo com a BBC, o exemplo que melhor comprova essa “teoria” é a “reviravolta milagrosa do Barcelona frente ao Paris Saint-Germain, na edição anterior da Liga Dos Campeões“: depois de perder o jogo da primeira mão por 4-0, a equipa catalã conseguiu inverter o resultado e golear o PSG por 6-1, no jogo da segunda mão dos oitavos de final da competição, sendo que o último golo foi marcado aos 95 minutos.

A emoção por parte dos adeptos foi tal, que fez com que a cidade de Barcelona tremesse, como mostra a imagem que se segue.

Fonte: ICTJA-CSIC

Também os concertos de rock podem dar origem a sinais sísmicos, tendo em conta que “cada música tem um padrão específico“, explicou um dos autores do estudo à BBC.

Exemplo disso é o concerto que Bruce Springsteen deu, em 2016, no estádio Camp Nou, uma vez que, tal como mostra a imagem seguinte, se verifica um aumento exponencial das amplitudes sísmicas durante a música “Shout”:

Fonte: ICTJA-CSIC

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Concertos de rock, fogos-de-artifício ou até mesmo jogos de futebol podem fazer tremer a Terra

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião