Mota-Engil não paga dividendos pela primeira vez em mais de duas décadas

  • ECO
  • 19 Abril 2018

Construtora liderada por Gonçalo Moura Martins viu os lucros caírem de 50 para dois milhões em 2017, razão pela qual não vai pagar dividendos este ano. É uma estreia em mais de duas décadas.

A Mota-Engil EGL 0,00% não vai pagar dividendos este ano, interrompendo uma política de entrega de lucros aos acionistas que se verificava desde pelo menos 1996, há mais de 20 anos, de acordo com os dados compilados pela Reuters.

Segundo João Vermelho, diretor de relações com os investidores, citado pelo Jornal de Negócios, “com dois milhões de euros de lucro é fácil perceber que o dividendo não será provavelmente pago”. “Não há um plano em cima da mesa para distribuir dividendos“, explicou pouco depois na conferência telefónica com os analistas.

A construtora registou uma quebra de 97% do lucro para dois milhões de euros em 2017 — no ano anterior, o resultado líquido foi de 50 milhões de euros, positivamente influenciado com a alienação das participações na Tertir e na Indáqua.

Em 1996, a Mota-Engil pagou um dividendo de 6,15 escudos (cerca de 3 cêntimos). Há um ano, distribuiu um dividendo de 13 cêntimos, depois de anos e anos a remunerar os acionistas de forma ininterrupta.

"Com dois milhões de euros de lucro é fácil perceber que o dividendo não será provavelmente pago. (…) Não há um plano em cima da mesa para distribuir dividendos.”

João Vermelho

Diretor para as Relações com o Mercado da Mota-Engil

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Mota-Engil não paga dividendos pela primeira vez em mais de duas décadas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião