Revista de imprensa internacional

Bancos usam algoritmos da ESA para detetar fraudes nas negociações. Deutsche Bank perde COO. Marissa Mayer tem nova aposta e Amazon Prime atinge marco dos 100 milhões de membros.

Depois de terem garantido o funcionamento dos satélites artificiais, os algoritmos da Agência Espacial Europeia vão agora ser usados para passar a pente fino os mercados financeiros. E por falar em novos projetos, Marissa Mayer já tem uma nova aposta. A ex-líder executiva da Yahoo vai ajudar startups de base tecnológica. Ainda no campo empresarial, mais de metade das companhias que deixaram a Catalunha após o tumultuoso referendo instalaram as suas sedes em Madrid. Do outro lado do oceano, de saída está Kim Hammons do Deutsche Bank e a Amazon Prime chegou à marca dos 100 milhões de membros.

Financial Times

Mercados olham para as estrelas para detetar fraudes nas negociações

A indústria dos serviços financeiros vai começar a usar os mecanismos de aprendizagem automática (machine learning) que mantêm os satélites espaciais em funcionamento para detetar erros e fraudes na negociação. Esta é a primeira parceria entre a Agência Espacial Europeia e o setor referido. O serviço de análise financeira Mosaic Smart Data espera, assim, usar os algoritmos em causa para monitorizar e analisar os milhões de dados associados às negociações. “Temos agora a oportunidade incrível de aplicar os modelos de data analytics aos problemas que os nossos clientes enfrentam nos mercados financeiros”, considerou a empresa.

Leia a notícia completa no Financial Times (acesso pago / conteúdo em inglês).

The Wall Street Journal

Depois de Cryan, COO do Deutsche Bank também sai

Considerado um aliado do antigo líder executivo do Deutsche Bank, Kim Hammons está de saída do banco alemã. O COO deverá deixar o seu cargo atual a 24 de maio. Recorde-se que, no último mês, John Cryan (ex-CEO da instituição) foi substituído por Christian Sewig, depois de várias semanas de tumulto na gestão do banco.

Leia a notícia completa no The Wall Street Journal (acesso pago / conteúdo em inglês).

Bloomberg

Ex-líder da Yahoo lança incubadora

Marissa Mayer acaba de se juntar a Enrique Munoz Torres para criar uma incubadora para startups de base tecnológica. A nova aposta da antiga presidente executiva da gigante Yahoo — a Lumi Labs — terá como foco projetos na área da inteligência artificial e do consumo mediático. Recorde-se que Mayer deixou a liderança do motor de busca depois de a empresa ter sido vendida, no ano passado, à Verizon Communications.

Leia a notícia completa na Bloomberg (acesso pago / conteúdo em inglês).

El País

Maioria das empresas que saíram da Catalunha instalaram-se em Madrid

Mais de metade das empresas que decidiram sair da Catalunha — no quadro do tumulto independentista dos últimos meses — acabaram por se instalar em Madrid. Das 1.350 companhias que retiraram as suas sedes da região catalã, no primeiro trimestre de 2018, 57% escolheram a capital espanhola para acomodar os seus negócios. Valência e Aragão dividem o pódio dos destinos dos empresários que escolherem sair da Catalunha, depois do referendo.

Leia a notícia completa no El País (acesso livre / conteúdo em espanhol).

Quartz

Amazon Prime já tem mais membros que Alemanha tem habitantes

A Amazon Prime — um serviço premium da gigante do comércio eletrónico com o mesmo nome — acaba de ultrapassar a marca dos 100 milhões de membros. A notícia foi avançada por Jeff Bezos (fundador e líder executivo da empresa), num email enviado aos acionistas. “Treze anos depois de ter sido lançada, excedemos os 100 milhões de membros pagos da Prime globalmente”, escreveu o empresário. De acordo com o norte-americano, no último ano, mais de cinco mil milhões de itens foram transacionados em todo o mundo através deste serviço.

Leia a notícia completa na Quartz (acesso livre / conteúdo em inglês).

O ECO recusou os subsídios do Estado. Contribua e apoie o jornalismo económico independente

O ECO decidiu rejeitar o apoio público do Estado aos media, porque discorda do modelo de subsidiação seguido, mesmo tendo em conta que servirá para pagar antecipadamente publicidade do Estado. Pelo modelo, e não pelo valor em causa, cerca de 19 mil euros. O ECO propôs outros caminhos, nunca aceitou o modelo proposto e rejeitou-o formalmente no dia seguinte à publicação do diploma que formalizou o apoio em Diário da República. Quando um Governo financia um jornal, é a independência jornalística que fica ameaçada.

Admitimos o apoio do Estado aos media em situações excecionais como a que vivemos, mas com modelos de incentivo que transfiram para o mercado, para os leitores e para os investidores comerciais ou de capital a decisão sobre que meios devem ser apoiados. A escolha seria deles, em função das suas preferências.

A nossa decisão é de princípio. Estamos apenas a ser coerentes com o nosso Manifesto Editorial, e com os nossos leitores. Somos jornalistas e continuaremos a fazer o nosso trabalho, de forma independente, a escrutinar o governo, este ou outro qualquer, e os poderes políticos e económicos. A questionar todos os dias, e nestes dias mais do que nunca, a ação governativa e a ação da oposição, as decisões de empresas e de sindicatos, o plano de recuperação da economia ou os atrasos nos pagamentos do lay-off ou das linhas de crédito, porque as perguntas nunca foram tão importantes como são agora. Porque vamos viver uma recessão sem precedentes, com consequências económicas e sociais profundas, porque os períodos de emergência são terreno fértil para abusos de quem tem o poder.

Queremos, por isso, depender apenas de si, caro leitor. E é por isso que o desafio a contribuir. Já sabe que o ECO não aceita subsídios públicos, mas não estamos imunes a uma situação de crise que se reflete na nossa receita. Por isso, o seu contributo é mais relevante neste momento.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Revista de imprensa internacional

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião