Ministro da Saúde reúne com supervisão da ADSE após demissão do presidente

  • ECO
  • 7 Maio 2018

Adalberto Campos Fernandes vai participar na reunião desta semana do Conselho Geral e de Supervisão da ADSE. O presidente da ADSE, Carlos Liberato Baptista, demitiu-se na semana passada.

Adalberto Campos Fernandes vai participar na reunião de dia 10 de maio do Conselho Geral e de Supervisão da ADSE, escreve esta segunda-feira o Público, após a demissão, na semana passada, do presidente deste instituto, Carlos Liberato Baptista.

Liberato Baptista, que apresentou a demissão na segunda-feira da semana passada, alegou motivos pessoais. Pouco depois, porém, a TVI tornou pública uma investigação jornalística que envolvia o presidente da ADSE em negócios ilícitos quando estava à frente do subsistema de saúde da PT. Já foi pedida uma auditoria aos anos em que Liberato Baptista presidiu a ADSE, e o Ministério Público está agora a investigar o caso.

Segundo o Público, não vai ser a primeira vez que o ministro da Saúde reúne com o Conselho Geral e de Supervisão, que inclui representantes das tutelas e dos beneficiários do subsistema de saúde dos funcionários públicos. O presidente do CGS, João Proença, explicou ao jornal que o ministro foi convidado antes da demissão se ter tornado pública. A reunião de 10 de maio vai, assim, incluir na agenda a presença do ministro da Saúde.

A ADSE é tutelada conjuntamente pela Saúde e pelas Finanças, que têm ambos representantes no Conselho Geral e de Supervisão. Também há representantes diretos — eleitos — dos beneficiários, assim como representantes indiretos, dos sindicatos de trabalhadores da Função Pública e das associações de pensionistas do setor público.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Ministro da Saúde reúne com supervisão da ADSE após demissão do presidente

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião