Antiga Feira Popular vai ter 700 casas de renda acessível

  • ECO
  • 11 Maio 2018

Projeto vai além dos terrenos da Feira Popular e abrange 25 hectares. Conta com quase mil novas casas. um megacentro de escritórios, espaços comerciais e outros.

O projeto da Câmara de Lisboa para revitalizar a zona de Entrecampos prevê quase mil fogos, dos quais 279 em venda livre, um megacentro de escritórios, espaços comerciais e novos equipamentos sociais e culturais. O projeto vai ser lançado em discussão pública na próxima semana, escreve o Expresso.

A “Operação Integrada de Entrecampos” aponta para os antigos terrenos da Feira Popular. Mas a área de intervenção abarca também dois terrenos confinantes com a Avenida Álvaro Pais e vários espaços junto à Avenida das Forças Armadas. Ao todo, são 25 hectares, em zonas próximas, dos quais 2,5 são espaços verdes.

O projeto prevê a construção de 979 fogos — a maioria será novas habitações, mas também reconversão — dos quais 279 ficarão no perímetro da antiga Feira Popular e serão colocados no mercado em venda livre, pelo promotor que vier a comprar os terrenos.

A maior parte do parque habitacional (700) destina-se a fogos de renda acessível. Do conjunto, 515 serão de construção direta pelo município. Outros 122 serão criados num espaço já edificado — em causa estão imóveis de escritórios do Ministério do Trabalho que serão convertidos em habitação. Os restantes 63 fogos serão construídos pela Santa Casa da Misericórdias em lotes seus.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Antiga Feira Popular vai ter 700 casas de renda acessível

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião