Gap pede desculpa por ter vendido T-shirts com mapa errado da China

  • Rita Frade e Lusa
  • 15 Maio 2018

A Gap pediu desculpa por ter vendido T-shirts com um mapa incorreto da China. O caso foi reportado por um utilizador da rede social chinesa, Weibo.

A Gap pediu, esta segunda-feira, desculpa por ter vendido T-shirts com um mapa incorreto da China, depois de um utilizador ter publicado imagens da T-shirt na rede social chinesa Weibo, queixando-se de que os territórios chineses, incluindo o sul do Tibete, a ilha de Taiwan e o Mar do Sul da China, tinham sido omitidos do mapa.

Num comunicado, publicado na sua conta de Weibo, a Gap diz que “respeita a soberania e a integridade territorial da China” e pede “desculpas por este erro não intencional“.

A empresa informou, ainda, que irá implementar “revisões mais rigorosas” para evitar que situações destas voltem a acontecer e que todas as T-shirts postas à venda na China foram retiradas do mercado e destruídas.

Mas, a Gap não é caso único. Outras empresas, como a Zara, a Delta Air Lines, a Medtronic ou o Marriott International, foram criticadas, por diferentes reguladores chineses, por identificarem Taiwan, Macau, Hong Kong ou o Tibete como países independentes.

Também a Mercedes-Benz pediu, recentemente, desculpa à China por citar o Dalai Lama, o líder espiritual dos tibetanos, que Pequim acusa de ser um “separatista”, numa fotografia colocada na conta oficial da marca no Instagram e que depois foi apagada.

Comentários ({{ total }})

Gap pede desculpa por ter vendido T-shirts com mapa errado da China

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião