É viciado no Instagram? A aplicação vai dizer-lhe

  • Juliana Nogueira Santos
  • 20 Maio 2018

A nova funcionalidade foi descoberta por entre as linhas de código e vai cronometrar o tempo que os utilizadores passam na aplicação. A empresa quer incentivar a utilização "positiva e intencional".

Acha que passa muito tempo a ver as histórias dos seus amigos no Instagram ou a ver todas as novidades que aparecem no feed? Em breve vai passar do achar a ter a certeza. A aplicação vai cronometrar o tempo que a utiliza por dia, por semana ou até por mês.

A funcionalidade foi descoberta nas linhas de código da aplicação por uma investigadora informática chamada Jane Manchun Wong. Jane partilhou, não só o código como o aspeto desta nova atualização, chamada “usage insights”. A notícia foi depois confirmada à TechCrunch pelo CEO do Instagram, através do Twitter.

“Estamos a construir ferramentas que irão ajudar a comunidade a saber mais sobre o tempo que passam no Instagram”, apontou Kevin Systrom através de um tweet na sua conta oficial. “Qualquer tempo deve ser positivo e intencional”.

O Instagram segue assim as pisadas do Google, que no seu último evento anunciou que os smartphones equipados com a próxima versão do sistema operativo Android vão ter um gestor de tempo que permitirá saber quanto tempo o utilizador passa em cada aplicação e permitir a criação de alertas e limites de tempo.

A nova funcionalidade está ainda escondida no código, mas é assim que vai aparecer.Jane Manchun Wong

As gigantes lidam assim com os estudos que dão conta das consequências cerebrais da utilização passiva das redes sociais, ou seja, da utilização zombie das plataformas. O Google e o Instagram querem que os utilizadores retirem prazer da experiência social, em vez de incentivar um estilo de vida passivo, acrítico e depressivo.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

É viciado no Instagram? A aplicação vai dizer-lhe

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião