Feira do Livro de Lisboa 2018 com mais pavilhões, editoras e espaço

  • Lusa
  • 21 Maio 2018

O evento decorre de 25 de maio a 13 de junho, no Parque Eduardo Sétimo, e vai contar com 626 marcas editoriais/editoras. A hora de encerramento passa para as 22h.

Mais oito pavilhões do que em 2017 e mais 25 marcas editoriais estarão presentes na 88.ª Feira do Livro de Lisboa, de 25 de maio a 13 de junho no Parque Eduardo VII, anunciou esta segunda-feira a organização.

Este ano, a feira conta com 294 pavilhões e com a presença de 626 marcas editoriais/editoras, ocupando 23 mil metros quadrados, ou seja, mais 3.000 metros quadrados do que em 2017, referiu o secretário-geral da Associação Portuguesa de Editores e Livreiros (APEL), Bruno Pacheco, na apresentação do certame. Entre as novidades está a hora de encerramento da feira de segunda a quinta-feira, que passa das 23h00 para as 22h00, o que faz com que a “Hora H” – momento de descontos especiais – seja também antecipada uma hora.

Segundo Bruno Pacheco, a antecipação da hora de encerramento resulta de uma auscultação aos editores, por lhes parecer o horário mais adequado, uma vez que a feira é muito visitada por famílias com crianças. Outras novidades deste ano serão o espaço ‘selfie’, um local para tirar e partilhar fotografias panorâmicas da cidade, e uma nova coleção de ‘merchandising’, onde a cortiça estará presente.

Da programação anunciada esta segunda-feira, sabe-se que no próximo sábado, 26, dias depois de completar 95 anos, o ensaísta Eduardo Lourenço marcará presença na feira numa iniciativa em que será exibido o documentário “Labirinto da Saudade”, com a presença do realizador, Miguel Gonçalves Mendes, e da presidente da Fundação José Saramago, Pilar del Río.

A Feira do Livro de Lisboa associa-se à iniciativa Noite da Literatura Europeia e juntará, a 9 de junho, os autores Damir Karakas (Croácia), Felipe Benitez Reyes (Espanha), Laetitia Colombani (França), Errico Buonanno (Itália), Olga Stehlíková (República Checa) e Radu Sergiu Ruba (Roménia) numa conversa moderada por Pedro Vieira. O autor David Machado, vencedor do Prémio de Literatura da União Europeia em 2015, estará à conversa com o público no dia 8 de junho.

No recinto estará patente uma exposição retrospetiva de todas as edições da feira, intitulada “88 anos de imagens com história”, onde se poderá revisitar o certame desde o início dos anos 30 do século XX, quando se realizava no Rossio. A escritora Luísa Costa Gomes, o crítico de cinema João Lopes, os autores Moita Flores, Nuno Artur Silva, Adelino Faria e Luísa Schmidt são alguns dos nomes que estarão presentes nos debates promovidos pela Fundação Francisco Manuel dos Santos, que este ano mantém a parceria com a Rádio Renascença.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Feira do Livro de Lisboa 2018 com mais pavilhões, editoras e espaço

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião