Visita de Merkel marca “novo ciclo económico” Portugal-Alemanha

António Costa aponta consenso e constância entre Alemanha e Portugal e congratula Merkel por visitar o país "num momento diferente da nossa vida".

Angela Merkel com António Costa, durante a vista da chanceler alemã a Portugal.Paula Nunes/ECO

António Costa diz que a visita de Angela Merkel a Portugal marca um “novo ciclo económico” entre os dois países. Em Lisboa, de visita, a chanceler alemã reuniu-se esta manhã com Marcelo Rebelo de Sousa e com o primeiro ministro António Costa.

No final do encontro, Costa disse que Portugal e a Alemanha nem sempre partilharam “os mesmos pontos de vista mas, Portugal e a Alemanha têm sido dos países mais constantes”.

“Há vontade comum de aproximar pontos de vista e decisões que, sendo difíceis exigem sentido de compromisso. É importante que os líderes europeus intensifiquem os contactos e que responsam positivamente aos cidadãos para que entendam que não nos limitamos a propor soluções”, acrescentou o primeiro ministro.

António Costa disse ainda que Angela Merkel está neste altura a visitar o país “num momento diferente da nossa via”, sublinhando a importância de a economia ter virado “a página do défice”, a saída do PDE e os dados de desemprego e crescimento económico divulgados recentemente. “Agora com o maior crescimento económico desde a adesão ao euro”. A última vez que a chanceler Angela Merkel esteve em Portugal foi há seis anos, altura em que Portugal vivia uma época de programa de ajustamento.

Por seu turno, Merkel sublinhou o “trabalho estruturado na política de defesa e externa” e a importância de os países europeus reagirem de forma conjunta a casos como os da Síria e da Ucrânia, por exemplo.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Visita de Merkel marca “novo ciclo económico” Portugal-Alemanha

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião