Rui Patrício temeu pela vida e rescindiu com o Sporting por não ter “condições mínimas”

  • Lusa
  • 1 Junho 2018

Numa carta de rescisão de 34 páginas, assinada pelo próprio Rui Patrício, o internacional português enumera e revela vários episódios e mensagens escritas por Bruno de Carvalho desde janeiro.

O guarda-redes Rui Patrício rescindiu contrato com o Sporting porque o clube pôs em causa a sua “integridade física”, não lhe dando as “condições mínimas” para exercer a sua profissão. Patrício admite que temeu pela própria vida.

Numa carta de rescisão de 34 páginas que a agência Lusa teve acesso, e que é assinada pelo próprio Rui Patrício, o internacional português enumera e revela vários episódios e mensagens escritas pelo presidente Bruno de Carvalho, a partir de janeiro deste ano, e acrescenta que poderá avançar para um pedido de indemnização por “danos de natureza não patrimonial”, que alegadamente sofreu.

Leia a carta de rescisão de Rui Patrício

“Fui alvo de violência de psicológica e de violência física. Isto não pode deixar de constituir justa casa, para que eu, preservando a minha dignidade pessoal e profissional, me liberte do contrato que me liga ao Sporting”, lê-se na carta.

Rui Patrício, de 30 anos, fez toda a sua formação e carreira profissional no Sporting e tinha contrato com o clube até junho de 2022.

O guarda-redes está atualmente em estágio com a seleção portuguesa, que prepara a participação na fase final do Mundial2018, na Rússia.

Comentários ({{ total }})

Rui Patrício temeu pela vida e rescindiu com o Sporting por não ter “condições mínimas”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião