A Premier League inglesa já chegou ao streaming da Amazon

  • ECO
  • 7 Junho 2018

É a primeira vez na história que a liga inglesa de futebol vai ser transmitida em direto numa plataforma de streaming.

A Amazon comprou os direitos para exibir jogos da Premier League inglesa na sua plataforma de streaming. É a primeira empresa tecnológica a entrar na transmissão direta dos jogos da liga inglesa, a mais lucrativa da Europa.

O pacote adquirido pela empresa americana inclui um total de 60 jogos ao longo das próximas três épocas, ou seja 20 por época, a partir de agosto de 2019. Vão ser transmitidos em direto as partidas de uma jornada durante a semana e outra num feriado, permitindo aos utilizadores escolher o jogo que querem ver.

Os jogos vão estar disponíveis para os assinantes da Amazon Prime, sem custos extra. Os subscritores vão também poder ver destaques semanais das partidas ao longo da época. O valor do acordo não foi revelado mas o presidente executivo da Premier League, Richard Scudamore, deu as boas vindas à Amazon em comunicado “como um entusiasmante novo parceiro”. Disse ainda que “o Prime Video vai ser um excelente serviço onde os fãs podem consumir a Premier League”.

Esta ação “não é uma ameaça imediata para as estações de televisão que também têm os direitos da liga inglesa”, a Sky Sports e a BT Sports, porque ainda é uma fatia pequena dos jogos, explicou Richard Broughton, um analista da Ampere Analysis, à Bloomberg. “Mas mostra uma intenção de perceber qual é a rentabilidade da aposta” para um possível aumento dos jogos exibidos no futuro, disse o analista.

A aposta da Amazon nos desportos ao vivo já se verificou noutras modalidades. Conseguiu também os direitos para a emissão do US Open Tennis no Reino Unido, pelos quais batalharam com a Sky Sports, num negócio de 40 milhões de dólares. Nos EUA tem um acordo com a NFL para passar jogos de futebol americano nas noites de quinta pelas duas próximas épocas. Para além disto também vai lançar um documentário de behind the scenes sobre a época de 2017/18 do Manchester City.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

A Premier League inglesa já chegou ao streaming da Amazon

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião