Consórcio da Galp adquire bloco de petróleo no Brasil

A petrolífera portuguesa, adquiriu através da sua participada Petrogal Brasil, uma posição de 14% no bloco de exploração Uirapuru, no âmbito de quatro leilões que se realizaram esta quinta-feira.

A Galp Energia GALP 5,37% fez uma nova aquisição no Brasil. A petrolífera anunciou ao mercado que adquiriu, através da Petrogal Brasil, uma posição minoritária em mais um bloco petrolífero.

Em comunicado à CMVM, a petrolífera liderada por Carlos Gomes da Silva revela que ficou com uma posição de 14% no bloco de exploração Uirapuru, operação que se concretizou no âmbito de quatro leilões realizados, esta quinta-feira no Brasil, pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis.

Essa posição foi adquirida através de um consórcio que integra a Petrobras que ficou com uma participação de 30%, mas também a ExxonMobil e a Equinor, tendo ambas ficado com uma participação de 28% cada.

“A aquisição enquadra-se no compromisso estratégico da Galp de reforçar a sua posição em ativos de elevada qualidade em áreas core, como o pré-sal brasileiro, através de parcerias sólidas”, diz a Galp Energia.

A petrolífera explica que o bloco de Uirapuru tem uma área de 1.285 km2, situando-se no polígono do pré-sal na bacia de Santos, a 175 km da costa e numa lâmina de água que varia entre 800 e 2.100 m. Refere ainda que o bloco encontra-se próximo do BM-S-8 e adjacente ao Norte de Carcará, onde a Empresa já detém atualmente participações de 17% e 20%, respetivamente.

Após a notícia da conquista de mais um bloco de exploração de petróleo, as ações da Galp Energia seguem em forte alta, acabando por encerrarem a sessão a valorizar 1,4%, para os 16,405 euros.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Consórcio da Galp adquire bloco de petróleo no Brasil

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião