Da internet para o mundo real. Amazon vai abrir showrooms onde pode experimentar uma casa inteligente

A Amazon vai abrir vários showrooms, em 15 cidades dos Estados Unidos, onde os clientes podem experimentar viver numa casa tornada totalmente inteligente pela Alexa.

Depois de ter instalado um império na internet, a Amazon quer agora criar laços mais reais com os seus clientes. É nesse sentido que a gigante do comércio eletrónico vai lançar uma série de showrooms, que demonstrarão o funcionamento de uma casa inteligente. Os Centros de Experiência da Amazon (Amazon Experience Centers, no inglês original) terão como objetivo mostrar as vantagens do sistema que pode ser criado em torno da Alexa, a assistente virtual da companhia de Jeff Bezos.

Queremos que os clientes experimentem um ambiente familiar real que espelha a conveniência da Alexa“, reforça Bhavnish Lathia, representante da multinacional norte-americana, em comunicado citado pelo Tech Crunch. Entre as vantagens que a companhia espera demonstrar, está, claro, o controlo de todos os dispositivos eletrónicos da habitação, das televisões às luzes, passando pelo termóstato e pelas persianas (caso sejam automáticas).

Para já, vão ser lançados 15 destes centros, nos Estados Unidos: as cidades de Atlanta, Dallas, Los Angeles, Miami, Orlando, São Francisco, Seattle e Washington D.C. foram as escolhidas para este primeiro lançamento.

Além de poderem experimentar estes produtos inteligentes oferecidos pela Amazon, os clientes vão poder também encomendá-los nos próprios showrooms ao invés de o fazerem online.

Esta não é a primeira vez que a Amazon aposta no salto do mundo virtual para o físico. No início do ano, a gigante abriu o primeiro supermercado totalmente livre de caixas registadoras.

Na semana passada, a Apple anunciou uma estratégia semelhante, lembra a CNBC. A gigante liderada por Tim Cook uniu-se a uma empresa de construção para criar casas modelo que demonstrem o sistema inteligente oferecido pela empresa da maçã. Nesse caso, todas as funções referidas são controladas a partir de um iPhone ou iPad através da Siri, a assistente virtual da Apple.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Da internet para o mundo real. Amazon vai abrir showrooms onde pode experimentar uma casa inteligente

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião