Empresas mais criativas? Está aberta a Buzziness

  • ECO
  • 11 Junho 2018

O publicitário João Gomes de Almeida lançou uma consultora de criatividade, com escritórios no Parque das Nações

Chegou a nova consultora de criatividade do publicitário João Gomes de Almeida. Vai atuar em inúmeras áreas, nomeadamente publicidade, branding, transformação digital, customer experience e consultoria estratégica de marketing.

O nome “é a junção das palavras Buzz e Business, ou seja junta o burburinho das novas tendências com o trabalho e os negócios”. A consultora Buzziness ambiciona ser o meio-termo entre as agências de publicidade, e as consultoras digitais.

A ideia terá surgido porque “o mercado da publicidade está a mudar a um ritmo absolutamente alucinante e é necessário percebemos que tipo de empresas no futuro irão fornecer às marcas os serviços de marketing e criatividade publicitária”, explica o fundador, João Gomes de Almeida, em comunicado enviado às redações.

"É uma oferta absolutamente diferenciada: não somos uma agência de publicidade porque queremos estar mais próximos do pensamento estratégico dos negócios dos nossos clientes, mas também não somos uma consultora digital, porque acreditamos que a criatividade tem muito valor”

João Gomes de Almeida

O projeto iniciou-se há cerca de um mês, tem os escritórios no Parque das Nações, em Lisboa, e está a trabalhar em projectos com “quatro grandes marcas nacionais e uma grande marca internacional”, ainda por anunciar.

O capital de investimento inicial da Buzziness é 100% nacional e João Gomes de Almeida acumulará as funções de CEO e Chief Creative Officer do projeto. Para além disto, é ainda Coordenador da Academia de Criatividade da escola Flag, Non-Executive Chairman do Lisbon Awards Group e cronista dos jornais ECO e i.

 

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Empresas mais criativas? Está aberta a Buzziness

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião