Fed volta a subir juros. Taxa já está nos 2%

Já era esperado. E Jerome Powell não desiludiu, aumentando a taxa de referência da maior economia em 25 pontos base.

A Reserva Federal dos EUA aumentou, novamente, a taxa diretora da maior economia do mundo. Subiu os juros em 25 pontos base, dando assim resposta ao crescimento mais acelerado do PIB. Enquanto na Zona Euro o Banco Central Europeu mantém o preço do dinheiro em zero, do outro lado do Atlântico está agora perto dos 2%.

Foi a segunda subida da taxa diretora da Fed este ano, depois da realizada em março. Com este novo aumento, de 25 pontos, os juros passaram para o intervalo de 1,75% a 2%. Vem assim ao encontro da expectativa dos economistas, que já antecipavam esta decisão por parte de Jerome Powell.

Esta foi a sétima subida de juros por parte da Fed desde o final de 2015, revisões realizadas com base na expansão da economia norte-americana, suportada pela sólida criação de postos de trabalho.

Ao mesmo tempo, a inflação está a encaminhar-se no sentido desejado. A subida dos preços está a acelerar, aproximando-se da fasquia dos 2%, levando a taxa para os 2,1% ainda este ano.

É perante este contexto que a Fed sinaliza que pode acelerar ainda mais o ritmo de subida da taxa diretora.

Em vez de mais uma subida este ano, Jerome Powell admite que o ritmo de aumento da taxa poderá acelerar, apontando para, pelo menos, mais duas revisões em alta da taxa. Caso estas subidas sejam da mesma dimensão daquela que agora foi realizada, os EUA podem chegar ao final do ano com juros de 2,5%.

Crescimento vai acelerar este ano. Há mais subidas de juros no próximo

Ao mesmo tempo que a Fed decidiu elevar o preço do dinheiro, reviu as suas projeções para o crescimento da maior economia do mundo. De acordo com a Reuters, os responsáveis do banco central dos EUA veem o PIB crescer 2,8% este ano, ligeiramente mais do que na última projeção, enquanto a taxa de desemprego deverá cair para 3,6% (a previsão de março era para uma taxa de 3,8%).

A economia cresce mais este ano do que no próximo. A Fed vê o ritmo de crescimento abrandar para 2,4%, mas mesmo assim considera que há margem para que os juros continuem a subir. Os responsáveis da Fed olham já para novos aumentos da taxa no próximo ano, sinalizando que podem acontecer mais três em 2019.

(Notícia atualizada às 19h18 com mais informação)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Fed volta a subir juros. Taxa já está nos 2%

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião