Housers: Portugueses investiram 1,5 milhões de euros em imóveis através do crowdfunding

A plataforma de crowdfunding espanhola arrecadou 1,5 milhões de euros provenientes de investidores portugueses em apenas oito meses.

Os investimentos imobiliários acontecem, e de todas as maneiras possíveis. Em apenas oito meses, os portugueses investiram 1,5 milhões de euros em imóveis através da Housers, uma plataforma espanhola de crowdfunding. Com investimentos mínimos de 50 euros, os interessados podem financiar a construção de vários imóveis, obtendo retornos quando estes forem vendidos ou arrendados.

A Housers chegou a território nacional em outubro do ano passado, e parece estar satisfeita com o feedback que tem recebido. Desde essa altura, pouco mais de meio ano, a plataforma online arrecadou 1,5 milhões de euros provenientes de investidores de nacionalidade portuguesa. Ao todo são mais de 4.300 utilizadores portugueses registados, que participaram em cinco projetos imobiliários concluídos com sucesso em Portugal. Em termos de investimento, o valor médio por investidor varia entre os 350 e os 650 euros.

“O facto de termos conseguido atingir um número tão elevado de investimento em tão pouco tempo superou as expectativas. Este rápido crescimento em Portugal comprova, sobretudo, a confiança que os portugueses têm depositado na Housers. A maioria dos investidores começa por investir montantes muito reduzidos mas, à medida que vão ganhando confiança, vão aumentando o valor dos investimentos“, diz João Távora, CEO da plataforma, em comunicado.

Através da plataforma online, os interessados podem investir num imóvel por um montante mínimo de 50 euros. Este investimento ajudará a financiar a construção do projeto, e o retorno acontece quando este é vendido ou arrendado. “Só no projeto do Porto, 157 investidores portugueses contribuíram com 103.877 euros para o financiamento da construção de uma urbanização com 54 apartamentos”, continua João Távora. O projeto mais recente, um apartamento em Paço de Arcos, fechou em apenas cinco dias, tendo sido aquele que “terminou mais rapidamente e contou com a participação de investidores de várias nacionalidade”.

Em todo o mundo, a Housers conta com 85 mil utilizadores registados, tendo já acumulado mais de 55 milhões de euros investidos através de financiamento coletivo, lê-se no comunicado. Há um ano entrou para o mercado italiano e, mais tarde, para Portugal.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Housers: Portugueses investiram 1,5 milhões de euros em imóveis através do crowdfunding

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião