Teixeira Duarte vendeu 7,5% da Lusoponte a construtora chinesa por 23,3 milhões de euros

  • ECO
  • 21 Junho 2018

A China Construction comprou 7,5% da Lusoponte à Teixeira Duarte por 23,3 milhões de euros, revela a CMVM.

O grupo Teixeira Duarte (TD) vendeu a participação que detinha na Lusoponte à China Construction, de acordo com a notícia adiantada pelo Expresso (conteúdo pago). O acordo foi assinado esta quarta-feira, e de acordo com comunicado ao mercado a operação ascendeu a 23,3 milhões de euros. Este montante traduz uma avaliação implícita da Lusoponte de 310,66 milhões de euros.

O contrato de promessa prevê a venda dos 7,5% que o grupo nacional detinha na Lusoponte, que passará agora para a maior construtora chinesa, pertencente ao Estado, mas os outros acionistas ainda têm de decidir se exercem direito de preferência. Com as assinaturas de Pedro Maria Teixeira Duarte e Manuel Teixeira Duarte, “o negócio está ainda condicionado ao eventual exercício do direito de preferência por parte dos principais acionistas da Lusoponte“, lê-se no comunicada da CMVM.

A Lusoponte é concessionária das pontes Vasco da Gama e 25 de Abril, em Lisboa, e esta é mais uma das transações que envolve o grupo Teixeira Duarte, a braços com um forte passivo que tem tentado diminuir através destas operações. A construtora vendeu, recentemente, a participação que detinha no Lagoas Park, em Oeiras, a uma subsidiária do fundo europeu de private equity Kildare.

Em abril deste ano, a empresa nacional já tinha fechado um acordo com o BCP, a CGD e o Novo Banco, que previa “uma redução significativa do passivo bancário alinhada com um programa de alienação de ativos no valor de cerca de 500 milhões de euros”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Teixeira Duarte vendeu 7,5% da Lusoponte a construtora chinesa por 23,3 milhões de euros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião