Alívio da dívida: Grécia ganha mais dez anos para pagar 100 mil milhões

  • ECO e Lusa
  • 22 Junho 2018

Os ministros das Finanças da Zona Euro alcançaram um acordo que estende a maturidade de 40% da dívida grega em dez anos. São quase 100 mil milhões de euros.

Os ministros das Finanças da Zona Euro alcançaram um acordo histórico que vai permitir um alívio da dívida à Grécia, estendendo a maturidade de quase 100 mil milhões de euros em empréstimos ao país. O acordo foi conseguido na madrugada desta sexta-feira, no Luxemburgo, e define as modalidades da saída da Grécia do terceiro programa de assistência.

A Grécia ganha assim mais uma década para pagar os 96 mil milhões de euros que ainda deve aos credores internacionais. O montante representa 40% do que a Grécia ainda tem de pagar na sequência dos resgates. Assim, a dívida, que começava a vencer já em 2023, só começa a maturar em 2033. No mercado obrigacionista, a notícia está a atirar os juros da dívida grega para mínimos de quatro semanas nas principais maturidades.

“Este foi um Eurogrupo para recordar. Após oito longos anos, a Grécia vai finalmente concluir a sua assistência financeira e junta-se à Irlanda, Espanha, Chipre e ao meu próprio país, Portugal, no grupo de países a dar a volta à sua Economia e a reconquistar a sua autonomia”, declarou Mário Centeno, na conferência de imprensa no final do Eurogrupo.

O alívio da dívida grega era uma medida há muito esperada pelo país. Segundo o Financial Times (acesso condicionado), o acordo foi imediatamente classificado como um passo “histórico” para a Grécia, que enfrentou a crise mais severa de sempre para uma economia europeia moderna.

Após várias horas de reunião, iniciada na quinta-feira à tarde, os credores da Grécia chegaram a um compromisso, já na madrugada de hoje, que contempla medidas de alívio da dívida grega, prolongamento dos prazos de pagamento dos empréstimos, uma última tranche de 15 mil milhões de euros como “almofada” financeira, mas também uma vigilância pós-programa reforçada.

A saída da Grécia do seu terceiro programa de assistência, que deverá consumar-se em 20 de agosto, representa também o final do ciclo de resgates a países na zona euro no quadro da crise económica e financeira, entre os quais Portugal (2011-2014).

(Notícia atualizada às 7h59 com mais informações)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Alívio da dívida: Grécia ganha mais dez anos para pagar 100 mil milhões

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião