“Não consigo sentir mais este clube”, diz Bruno de Carvalho no Facebook

  • ECO
  • 24 Junho 2018

Horas depois de conhecer os resultados oficiais, Bruno de Carvalho regressou ao Facebook para anunciar o 'divórcio' com o Sporting. E garante que não vai impugnar a Assembleia Geral.

Bruno de Carvalho regressou ao Facebook, horas depois de se conhecerem os resultados da votação dos quase 15 mil sócios que, de forma clara (71% dos votos), decidiram pela sua destituição: “Não consigo mais sentir este Clube… Não sou mais do Sporting Clube de Portugal porque fui enganado… (…) A minha carta de suspensão vitalícia de sócio segue segunda-feira e nunca mais seguirei sequer os eventos desportivos do Clube”. É uma carta pública de despedida (por agora), com a promessa de que não vai impugnar os resultados desta assembleia geral. “Mas para mim acabou. Podia impugnar esta AG por todas as ilegalidades cometidas: sim. Mas não o vou fazer. Era só o adiar o ter de devolver o Clube a quem nele mesmo manda”.

Bruno de Carvalho tinha prometido não estar presente na Assembleia Geral que decidiria a sua destituição, mas acabou por aparecer por volta das 19h deste sábado no Altice Arena. Perante os resultados, o presidente destituído escreveu: “Quem esteve na AG percebeu que os resultados estão ao contrário… mas chega! Foram 5 anos de intensa dedicação e o sentimento que tenho é que me foi tempo roubado”.

E, claro, não poupou críticas… aos críticos. “Mas orgulho… perdi todo quanto vejo que afinal o Clube que amava, que quis transformar num Clube popular, de e para o povo, de e para os adeptos, de e para os sócios… afinal nunca deixou de ser um Clube de Viscondes com sempre com os mesmos a dominar: os Stromps, os Leões de Portugal os Cinquentenários, os Ricciardis, os Casquilhos, as Isabeis Trigo Miras, as Margaridaa Caldeiras da Silva, os Abrantes Mendes, os Barbosas da Cruz, os José Pedro Rodrigues, os Sobrinhos, os Dias Ferreiras, os Barrosos, os Sampaios, os Zé Eduardos, os Seixas, os Severinos, os Vascos Lourencos, os Roquettes, os Godinhos, os Dias da Cunha os Rogério Alves, os Jaime Marta Soares… Enfim… um Clube de Ilustres Inúteis, mas que realmente mandam”.

A terminar, Bruno de Carvalho garante que “foi uma honra servir os Sportinguistas”, mas acrescenta: “Não sinto qualquer honra de ter servido uma instituição que me fez sair com o rótulo de criminoso e de mandante de ataques terroristas”.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

“Não consigo sentir mais este clube”, diz Bruno de Carvalho no Facebook

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião