Revista de imprensa internacional

Enquanto em Itália, o ministro do Trabalho está decidido a avançar com alterações nas empresas, em Espanha, o Fisco divulga a lista dos seus devedores.

No dia em que, por Itália, o novo Governo tenta fazer alterações a nível das condições de trabalho, por Espanha, o Fisco publica a lista de devedores. Nas empresas, a PwC foi condenada a uma multa avultada, enquanto a Petrobras perde um processo milionário por ter violado os termos de um contrato com uma empresa norte-americana. Aqui ao lado, a Nestlé tem estado em reuniões para adquirir uma empresa canadiana de rações para animais.

Reuters

Governo italiano vai limitar contratos temporários de trabalho

O recente Governo italiano quer limitar os contratos temporários de trabalhar e penalizar as empresas que transfiram as suas produções para o exterior, numa tentativa de aumentar a segurança laboral. A medida foi sugerida por Luigi di Maio, ministro do Trabalho, que pretende também incluir a proibição de publicidade a todos os jogos de apostas desportivas, justificando que prejudicam as finanças das famílias e atingem os membros mais fracos da sociedade. Leia a notícia completa na Reuters (acesso livre, conteúdo em inglês)

Financial Times

PwC condenada a pagar 625 milhões de dólares pelo colapso do Colonial Bank

A consultora britânica foi condenada ao pagamento de uma indemnização de 625 milhões de dólares (537,2 milhões de euros) pelas suas funções de auditoria no norte-americano Colonial Bank, antes do seu colapso em 2009. Esta é considerada a maior indemnização pedida a uma auditora. Um tribunal ordenou que a PwC efetuasse o pagamento à Federal Deposit Insurance Corporation, por esta não ter feito o suficiente para descobrir uma fraude que acabou por provocar o colapso do banco. A consultora vai recorrer da decisão. Leia a notícia completa no Financial Times (acesso condicionado, conteúdo em inglês)

Expansión

Nestlé negoceia compra da Champion Petfood por mais 1.700 milhões de euros

A multinacional suíça está a negociar a aquisição da canadiana Champion Petfood, uma empresa especializada na alimentação de animais domésticos, presente no mercado através da marca Purina. A concretizar-se, a operação vai superar os 2.000 milhões de dólares (1.712 milhões de euros). As primeiras negociações tinham como objetivo adquirir uma participação maioritária na empresa, principalmente através do fundo Bedford Capital, porém a ideia atual é adquirir a sua totalidade. Leia a notícia completa no Expansión (acesso livre, conteúdo em espanhol)

G1

Petrobras perde processo judicial de 622 milhões de dólares com empresa norte-americana

A Vantage Drilling International vendeu uma batalha judicial contra a Petrobras, num processo de 622 milhões de dólares (534,6 milhões de euros). De acordo com a informação enviada pela norte-americana, o tribunal considerou que a Petrobras America e a Petrobras Venezuela Investments and Services, duas subsidiárias da Petrobras, violaram um contrato de perfuração com a Vantage Deepwater, iniciado em 2009. Em 2015, a Petrobras notificou a Vantage de que tinha terminado o contrato, por esta ter violado os seus termos. O processo começou aí, com a norte-americana a alegar rescisão injusta. Leia a notícia completa no G1 (acesso livre, conteúdo em português)

El Economista

Fisco espanhol publica quarta lista de devedores. São 15,3 milhões de euros em dívidas

Nesta quarta lista de devedores ao Fisco espanhol estão 4.318 nomes, menos 5% do que na lista anterior. Relativamente ao montante de dívidas, esse excede os 15,3 mil milhões de euros, cerca de menos 0,6% do que na anterior. Os maiores devedores espanhóis são dois irmãos da família Cort Lagos, herdeiros do terreno Valdebebas no centro de Madrid, com uma dívida de 28 milhões de euros cada um. Por sua vez, a Reyal Urbis é a maior empresa devedora, com uma dívida no total de 361 milhões de euros. Leia a notícia completa no El Economista (acesso livre, conteúdo em espanhol)

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Revista de imprensa internacional

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião