As razões de Bruno de Carvalho para avançar com candidatura

A decisão está tomada. O ex-presidente do Sporting vai mesmo recandidatar-se, para impedir o clube de "voltar a um passado que os sportinguistas não pretendem". O ECO avançou a notícia em exclusivo.

Bruno de Carvalho anunciou este sábado a intenção de se recandidatar, através de um direto no Facebook.Facebook de Bruno de Carvalho

É oficial. O ex-presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, vai mesmo recandidatar-se à liderança do clube, confirmando uma notícia avançada em exclusivo pelo ECO este sábado. Num vídeo transmitido em direto no Facebook do gestor, Bruno de Carvalho foi perentório: “Decidimos avançar com a candidatura. Decidimos, de novo, enfrentar a vontade dos sócios.”

Bruno de Carvalho já tinha sinalizado a intenção de voltar a concorrer. Um dia depois de ter sido destituído em assembleia-geral, na qual 71% dos sócios votaram contra a sua saída, o gestor escreveu no Facebook que queria voltar “à luta”. No dia seguinte, editou a publicação para eliminar essa referência. Mas, ao que o ECO apurou, a decisão é final e Bruno de Carvalho quer mesmo ir a eleições no próximo dia 8 de setembro.

“Voltar para trás não pode ser nunca o nosso caminho. Temos de continuar a trilhar o caminho do sucesso. Temos de continuar a trilhar o caminho de mãos dadas com os sportinguistas, para atingirmos sempre aquilo que são os nossos reais objetivos. Por isso, decidimos avançar com a candidatura. Decidimos de novo enfrentar a vontade dos sócios e dar-lhes a esperança de continuarmos num caminho, num rumo de continuarmos leais ao Sporting”, afirmou Bruno de Carvalho este sábado.

O ex-presidente continuou, garantindo ter recebido “milhares de mensagens de apoio”. “Estas duas últimas semanas foram semanas de grande reflexão. Semanas onde recebemos centenas, senão milhares de mensagens de apoio, de solidariedade, de incentivo para podermos continuar num trabalho que foi um trabalho de cinco anos. Um trabalho árduo, um trabalho de reerguer um clube que estava resignado, mas que, neste momento, se transformou novamente na maior potência desportiva nacional. Cinco anos que voltaram a demonstrar a força do Sporting, quer a nível nacional, quer a nível Europeu”, disse.

Como argumento de recandidatura, Bruno de Carvalho assume a insatisfação com o rumo tomado pelo clube, agora liderado por Sousa Cintra, que o substituiu na presidência: “O Sporting está a voltar a um passado que os sportinguistas não pretendem. Talvez fosse mais fácil para todos nós desistirmos, voltarmos as costas. Mas nós somos feitos de honra. E feitos de honra é sermos feitos de compromisso. Compromisso com os sportinguistas. Compromisso com aqueles que são os nossos princípios e valores, que têm de nortear sempre o Sporting Clube de Portugal.”

“É necessário que o Sporting continue nas mãos dos sportinguistas”, disse ainda, apelando à presença de todos na conferência de imprensa desta quarta-feira, às 20h00.

(Notícia atualizada com mais informação)

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

As razões de Bruno de Carvalho para avançar com candidatura

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião