ViaCTT: Fisco não suspendeu todas as cobranças

  • ECO
  • 19 Julho 2018

Os serviços das Finanças continuam a dizer aos contribuintes que apenas são suspensos os processos em que há defesa. Finanças sossega contribuintes e diz que execução vai mesmo ser suspensa.

Continua a polémica à volta dos processos de contraordenação abertos a contribuintes que não tinham a caixa postal eletrónica da ViaCTT. Apesar de as Finanças terem vindo dizer que esses processos estavam suspensos, a informação que continua a ser transmitida aos contribuintes é a de que os processos continuam, apenas se encontrando suspensos aqueles em que os visados, uma vez recebida a notificação, apresentaram uma defesa, escreve o Jornal de Negócios, na edição desta quinta-feira.

Apesar de os fiscalistas aconselharem os contribuintes a apresentarem uma defesa pedindo o afastamento da coima, o Ministério das Finanças sossega os contribuintes e garante que o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, António Mendonça Mendes, já “determinou, por despacho” a suspensão de todos os processos de contraordenação e que essa suspensão “foi executada”.

Mais, o ministério de Mário Centeno, acrescenta : “sempre que um contribuinte creia que o seu processo não está suspenso, deverá contactar a AT através do e-balcão com as informações necessárias à identificação do processo”.

Mendonça Mendes, na última ida ao Parlamento, tinha já garantido que estavam a trabalhar no sentido de que os pagaram tenham tratamento idêntico aos que não pagaram, tendo ainda adiantado que o Governo estava estudar alternativas à ViaCTT.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

ViaCTT: Fisco não suspendeu todas as cobranças

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião