A tarde num minuto

Não teve tempo de ler as notícias esta tarde? Fizemos um best of das mais relevantes para que fique a par de tudo o que se passou, num minuto.

A APB diz que as instituições financeiras que representa pretendem aplicar a nova lei que visa refletir na íntegra os juros negativos no crédito da casa. Contudo, diz ter dúvidas no tratamento fiscal. Entre certificados de aforro, do Tesouro e OTRV, os portugueses têm 35.632 milhões de euros emprestados ao Estado. O valor representa 14,5% da dívida direta do Estado, o máximo de uma década.

A APB diz que as instituições financeiras que representa pretendem aplicar a nova lei que visa refletir na íntegra os juros negativos sobre o crédito da casa. Contudo, afirma que o setor tem dúvidas relativamente ao tratamento fiscal a dar aos juros negativos.

As famílias portuguesas não só estão a emprestar mais dinheiro ao Estado como a tornar-se cada vez mais representativas no seu financiamento. Os portugueses têm atualmente mais de 35 mil milhões de euros em dívida do Estado. Trata-se de um máximo histórico e que representa já 14,5% do total do financiamento público. Seria necessário recuar uma década para assistir a um peso mais elevado.

Espere pela próxima semana para abastecer o depósito do seu automóvel. Os preços dos combustíveis vão descer dois cêntimos na próxima semana. No caso do gasóleo, será a maior descida do último ano.

Afinal, os jogos da Liga dos Campeões na próxima época também deverão ser transmitidos no canal generalista da TVI. A Eleven Sports estará prestes a fechar um “acordo exclusivo para a aquisição dos direitos” da competição em sinal aberto, revelou a TVI24. Segundo a estação de Queluz de Baixo, a parceria e os detalhes deste acordo serão anunciados “no decorrer da próxima semana”.

O ministro do Planeamento, Pedro Marques, afirmou esta sexta-feira que o Ministério não recebeu qualquer queixa sobre alegadas fraudes na reconstrução de casas em Pedrógão Grande, uma situação “lamentável” sobre a qual vai aguardar os resultados da investigação.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

A tarde num minuto

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião