Startup de Coimbra recebe 700 mil euros para desenvolver detergentes a partir de óleos alimentares usados

  • Lusa
  • 23 Julho 2018

Uma empresa que nasceu no seio da Universidade de Coimbra acaba de receber um financiamento comunitário de 700 mil euros. Vai desenvolver uma cápsula que transforma óleo alimentar usado em detergente.

Um litro de óleo contamina até um milhão de litros de água.Pixabay

Uma empresa formada por um grupo de químicos da Universidade de Coimbra (UC) obteve 700 mil euros de fundos europeus para desenvolver detergentes ecológicos a partir de óleos alimentares usados. A EcoXperience foi formada em 2016 na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC) e conseguiu este financiamento no âmbito do quadro comunitário de apoio Portugal 2020.

A verba vai ser aplicada no desenvolvimento da One-N-Done, uma cápsula 100% ecológica, que “converte os óleos alimentares usados, um resíduo altamente poluente em diferentes detergentes (lava-chão, limpa-vidros, sabonetes, lava-loiça, entre outros), de forma praticamente automática e a baixo custo”, sublinha a FCTUC na mesma nota. Um litro de óleo contamina até um milhão de litros de água.

O projeto, que envolve uma dezena de investigadores do Departamento de Química da FCTUC, a Tecnocanto e o grupo Sonae, prevê que a cápsula esteja no mercado dentro de dois anos, pois a EcoXperience já criou “uma tecnologia para transformar os óleos usados em agentes de limpeza, através de uma proteína que funciona como biocatalisador”. Esta tecnologia, em processo de patenteamento, recorre a uma proteína existente no corpo humano, produzida pelo pâncreas para processar as gorduras ingeridas, adianta a FCTUC.

Na prática, “a fórmula desenvolvida pela EcoXperience, em parceria com a Universidade de Coimbra, mimetiza o que acontece no corpo humano, ou seja, transforma os triglicerídeos presentes nos óleos usados em novos componentes”, explicam César Henriques e Filipe Antunes, dois dos fundadores desta ‘startup’ da FCTUC.

Sustentada na filosofia da economia circular — economia que tem como premissa a transformação de resíduos em produtos inovadores –, a EcoXperience pretende disponibilizar, tanto para o setor industrial como para uso doméstico, “uma cápsula idêntica à que colocamos na máquina de lavar roupa ou loiça, recheada com todos os agentes necessários para a transformação do óleo usado e os ingredientes essenciais para os vários produtos de limpeza (perfume, corantes, etc.)”, salientam, citados pela FCTUC, César Henriques e Filipe Antunes.

“Assim, valorizamos um resíduo e fornecemos detergentes altamente ecológicos, sem produtos químicos agressivos para o ambiente, como acontece, na generalidade, com os atuais detergentes”, acrescentam os dois investigadores.

“O objetivo é democratizar a forma como as pessoas têm acesso aos detergentes, permitindo obter produtos de origem vegetal eficazes e amigos do ambiente, economizando tempo e dinheiro”, destacam César Henriques e Filipe Antunes, estimando que “a One-N-Done permita ao utilizador final uma poupança média anual de 45% em detergentes”.

A pensar no mercado internacional, a startup está a efetuar um levantamento de todos os tipos de óleos que são usados a nível mundial “com o objetivo de encontrar uma solução para cada zona geográfica do globo ou mesmo desenvolver uma fórmula universal”, adiantam ainda os responsáveis.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Startup de Coimbra recebe 700 mil euros para desenvolver detergentes a partir de óleos alimentares usados

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião