Dona da Fidelidade faz mira à Ageas. Negócio pode valer 10 mil milhões

  • ECO
  • 24 Julho 2018

A Fosun estará a preparar-se para avançar com uma proposta de compra sobre a seguradora belga que está presente no mercado nacional. A operação poderá custar 10 mil milhões è dona da Fidelidade.

A Fosun tem um novo alvo. O conglomerado chinês que detém a maioria do capital da Fidelidade estará, segundo a Bloomberg, a preparar-se para avançar com uma proposta para a aquisição de parte ou da totalidade da Ageas, a seguradora belga que comprou a Axa, mas também a Ocidental e a Médis em Portugal. O negócio poderá ascender a 10 mil milhões de dólares.

A companhia chinesa está, de acordo com a agência noticiosa norte-americana, a discutir com bancos de investimento a possibilidade de se lançar em mais uma operação de consolidação. Estará a estudar vários cenários, entre eles o de encontrar um parceiro para comprar a Ageas, dividindo dos ativos, ou mesmo avançar para o reforço da sua posição no capital. A Fosun tem 3% do capital.

A Ageas recusou tecer quaisquer comentários sobre esta informação obtida pela Bloomberg junto de fontes conhecedoras do processo que não quiseram ser identificadas. Essas mesmas fontes revelaram à agência noticiosa que não foi tomada ainda uma decisão final relativamente a este negócio que, no limite, pode não avançar. Em bolsa, a Ageas disparou, estando a valer 8,9 mil milhões de euros, cerca de 10 mil milhões de dólares.

Uma compra da Ageas representaria um sinal do interesse da China em tornar as suas empresas cada vez mais globais, numa altura em que a economia do país dá sinais de abrandamento. É que além da Fosun, a China Three Gorges também tem prosseguido as compras, nomeadamente com as OPA lançadas sobre a EDP e a EDP Renováveis.

Tanto a Fosun como a China Three Gorges estão em Portugal, tendo ambas entrado no capital de empresas portuguesas em processos de privatização durante os anos da troika. A Fosun detém 90% do capital da Fidelidade, sendo que a compra da Ageas aumentaria ainda mais a presença no setor segurador em Portugal. A Ageas comprou a Axa, mas também ficou com a Ocidental que pertencia ao BCP, além da Médis.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Dona da Fidelidade faz mira à Ageas. Negócio pode valer 10 mil milhões

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião