Facebook afunda 19%. Maus resultados passam fatura ao Nasdaq

O índice tecnológico norte-americano registou uma queda superior a 1% num dia em que as ações do Facebook afundaram quase 19%. Ao mesmo tempo, o acordo comercial EUA-UE deu ganhos ao Dow Jones.

A sessão arrancou em terreno misto, e assim ficou até ao fecho. Por um lado, Wall Street foi pressionado pela queda histórica das ações do Facebook, perto dos 19%, após a divulgação de resultados poucos satisfatórios aos olhos dos analistas, contagiando outras empresas de peso do setor tecnológico. Por outro, as empresas do setor industrial registaram ganhos num dia marcado pelo acordo entre os EUA e a UE que se espera que ponha um ponto final na guerra comercial entre ambas as partes.

Neste contexto, o S&P 500 fechou a cair 0,30% para 2.837,44 pontos. O industrial Dow Jones encerrou em alta de 0,45% para 25.529,57 pontos. Já o tecnológico Nasdaq desvalorizou 1,02% para 7.851,38 pontos, à boleia das ações do Facebook.

A rede social criada por Mark Zuckerberg apresentou resultados esta quarta-feira à noite e emitiu um aviso aos analistas. Depois de revelar uma desaceleração no crescimento das receitas, a empresa alertou que a tendência deverá manter-se à medida que vai investindo na proteção dos dados pessoais dos utilizadores — isto depois do escândalo da Cambridge Analytica. Ao mesmo tempo, o Regulamento Geral da Proteção de Dados (RGPD) levou a que um milhão de utilizadores europeus optassem por deixar de usar a plataforma.

Face a estas notícias, as ações do Facebook caíram 18,96% para 176,26 dólares, uma queda histórica para a empresa. A empresa perdeu cerca de 120 mil milhões de dólares de valor de mercado, o equivalente a dois terços das perdas registadas na bolsa de valores na histórica terça-feira negra de 1929. A queda acabou por alastrar-se para outras empresas do setor: por exemplo, o Twitter recuou 2,9% para 42,93 dólares por ação.

Ainda neste setor, nota para as ações da Amazon. A empresa fundada por Jeff Bezos desvalorizou 2,98% para 1.808,04 dólares cada título, à medida que se prepara para revelar resultados esta quinta-feira, após o fecho da sessão.

Em contrapartida, o setor industrial travou as perdas na praça norte-americana. O Presidente dos EUA, Donald Trump, e o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, anunciaram um acordo para o alívio das tarifas alfandegárias, o que se espera que ponha fim à guerra comercial entre ambas as partes. Face a esta notícia, as ações da Boeing valorizaram quase 0,94% para 3,25 dólares.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Facebook afunda 19%. Maus resultados passam fatura ao Nasdaq

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião