From-Start-to-table: quando a Startup Lisboa decide acelerar restauração

Incubadora lisboeta e Turismo de Portugal juntam-se em novo programa de aceleração para o ecossistema da restauração. Candidaturas abrem no final de agosto.

Chama-se From Start-to-table e é o novo vertical da Startup Lisboa, especializado na aceleração de projetos de restauração. Quer ajudar a fazer crescer negócios no setor da restauração: novos conceitos, tecnologias ou outros, tudo para “modernizar e melhorar a experiência dos clientes ou facilitar a gestão do dia-a-dia, até soluções que tanto podem dizer respeito ao que se passa na sala como na cozinha”, explica a Startup Lisboa em comunicado.

“Queremos que este programa tenha um foco na restauração, que em Portugal tem uma grande relevância, sendo que em algumas regiões evidencia uma importância acrescida face ao crescimento do Turismo. Por outro lado, existe um turista cada vez mais exigente, que pretende obter da visita a Portugal, uma experiência única, genuína mas simultaneamente sofisticada e inovadora”, explica Miguel Fontes, CEO da Startup Lisboa.

De acordo com dados do Instituto Nacional de Estatística divulgados em fevereiro deste ao, em 2016 o setor do alojamento e da restauração revelou-se como um dos mais dinâmicos e, uma em cada seis empresas criadas ou era restaurante ou de alojamento local.

O programa conta com o apoio do Turismo de Portugal e, ainda que as candidaturas só arranquem no final de agosto, é possível ir acompanhando as novidades aqui.

From Start to table, o novo acelerador da Startup Lisboa.D.R.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

From-Start-to-table: quando a Startup Lisboa decide acelerar restauração

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião