Amorim sai definitivamente do capital do BPI. Encaixa 2,84 milhões de euros

  • Rita Atalaia
  • 27 Julho 2018

A Amorim – Sociedade Gestora de Participações Sociais vendeu as 1,96 milhões de ações que tinha no BPI. Com a saída do banco, encaixou 2,84 milhões de euros.

A Amorim – Sociedade Gestora de Participações Sociais saiu totalmente do BPI. A empresa vendeu as 1,96 milhões de ações que detinha do banco liderado por Pablo Forero, numa operação que permitiu encaixar 2,8 milhões de euros.

De acordo com o comunicado enviado pelo BPI à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, cada ação foi vendida a 1,45 euros — foram realizadas quatro operações distintas, mas todas concretizadas ao mesmo valor em bolsa. Ou seja, a Amorim – Sociedade Gestora de Participações Sociais encaixou 2.844.192,4 euros com esta operação.

Ao mesmo tempo que a Amorim saiu totalmente do capital da instituição financeira, sem anunciar quem foi o comprador das ações, o CaixaBank, dono do BPI, tem vindo a reforçar a sua participação no banco, detendo já praticamente 95% dos títulos.

O banco catalão já veio dizer, durante a apresentação das contas para os primeiros seis meses do ano — quando lucrou 1,29 mil milhões de euros à boleia do aumento das receitas com o negócio bancário –, que quer retirar a entidade da bolsa de Lisboa até ao final do ano. 

Esta intenção já tinha sido expressada pelo presidente Pablo Forero na apresentação dos resultados para o primeiro semestre, quando o BPI passou de prejuízos a lucros de 366,1 milhões de euros. Uma recuperação que se justifica não só pela venda de ativos, mas também pela melhoria da atividade em Portugal e Angola.

(Notícia atualizada às 20h27 com mais informação)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Amorim sai definitivamente do capital do BPI. Encaixa 2,84 milhões de euros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião