? As 64 horas do ‘não me demito’ à demissão de Ricardo Robles

Ricardo Robles enfrentou câmaras e microfones ao final da tarde da passada sexta-feira para dizer que procedeu “de forma exemplar” no que toca ao polémico imóvel que detém em Alfama. Um prédio que tentou vender por 5,7 milhões de euros, poucos anos depois de o ter comprado por 347 mil euros. Mas entre o ‘não me demito’ e a demissão, passaram 64 horas.

Esta segunda-feira, por volta do meio-dia, Ricardo Robles apresentou a sua renúncia aos cargos de vereador na Câmara Municipal de Lisboa e coordenador da concelhia do Bloco de Esquerda na capital. O discurso mudou: numa mensagem, Ricardo Robles reconheceu a existência de “um problema político real” e assumiu, por isso, o “enorme constrangimento” causado pelo mesmo à sua “intervenção como vereador”.

O ECO preparou um vídeo com uma cronologia dos eventos que marcaram os últimos dias. Recorde os principais acontecimentos que culminaram na saída do bloquista.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

? As 64 horas do ‘não me demito’ à demissão de Ricardo Robles

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião