Corticeira Amorim aumenta lucros para 42 milhões

Aumento das vendas e compra da Bourrassé e da Elfverson compensaram a desvalorização do dólar e levaram a Corticeira Amorim a subir os lucros em 9%.

A Corticeira Amorim registou lucros de 41,2 milhões de euros no primeiro semestre deste ano, o que representa um aumento de 9,2% face ao período homólogo. A justificar esta melhoria dos resultados está “o crescimento da atividade e a integração da Bourrassé e da Elfverson que, em conjunto, mais que compensaram o impacto da desvalorização do dólar”, refere a empresa, em comunicado enviado esta manhã à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

A empresa viu todas as unidades de negócios a registar um crescimento das vendas neste período, com exceção da unidade de revestimentos. Feitas as contas, as vendas totalizaram perto de 399,8 milhões de euros no final de junho, mais 12,7% do que em igual período do ano passado.

Já o EBITDA (resultados antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ascendeu a 77,4 milhões de euros, uma subida de 9,6% em relação ao primeiro semestre de 2017. “Num contexto de maior pressão sobre a margem bruta, foi particularmente importante ter obtido ganhos de eficiência operacional, associados a um rigoroso controlo dos custos e a uma redução das imparidades”, aponta a Corticeira Amorim.

Em sentido contrário, a dívida líquida aumentou de 92,8 milhões de euros no final de 2017 para 102 milhões no primeiro semestre deste ano. A subida fica a dever-se “ao valor pago pelas recentes aquisições (Bourassé, Sodiliège e Elfverson) e à consolidação da respetiva dívida no balanço da Corticeira Amorim”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Corticeira Amorim aumenta lucros para 42 milhões

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião