Quais foram as casas de luxo mais visitadas pelos portugueses?

As casas de luxo que mais atraíram os portugueses localizam-se em Lisboa e no Algarve. A próximidade da praia e a existência de uma piscina parece ser um fator determinante para os consumidores.

Com ou sem intenções de comprar, ver as casas de luxo disponíveis no mercado parece estar a tornar-se um hobby dos portugueses. As zonas perto da praia são das mais escolhidas, particularmente no Algarve e em Cascais, mas também há quem queira fazer companhia a Madonna com um palacete em Lisboa.

O portal de anúncios imobiliários idealista compilou as dez casas de luxo mais visitadas este ano no site, todas com preços superiores a um milhão de euros. Apesar de terem sido os mais visualizados, estes imóveis ainda não foram vendidos e continuam no mercado.

O pódio da lista é composto por moradias na linha da costa do distrito de Lisboa: Estoril, Oeiras e Cascais. No topo está uma mansão no Estoril com vista para o mar. Outro dos requisitos que a maior parte das casas preenche é ter piscina, exterior ou interior, como é o caso de uma penthouse em Cascais.

Já o palacete em Lisboa no Lumiar, inserido num terreno de 19 mil metros quadrados, também suscitou grande interesse. Existe outro palacete na lista, no centro histórico de Sintra, cuja quinta foi mandada construir pelo Marquês de Saldanha no século XIX.

Existem três moradias no Algarve de que os portugueses gostaram especialmente de espreitar, uma delas um palácio em São Brás de Alportel. A outra região que completa a lista é Porto Santo, na Madeira, com uma moradia que tem uma piscina infinita.

 

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Quais foram as casas de luxo mais visitadas pelos portugueses?

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião