Reconversão monetária na Venezuela. Agora há duas moedas

  • Lusa
  • 20 Agosto 2018

O salário mínimo mensal dos venezuelanos e os preços dos produtos passam a ser afixados com base no valor do petro, que por sua vez está indexado ao valor do preço internacional do barril de crude.

A Venezuela passa a ter duas novas unidades monetárias, o bolívar soberano e o petro, no âmbito da reconversão monetária que hoje entra em vigor e em virtude da qual o Presidente Nicolás Maduro decretou um dia feriado.

O bolívar soberano (Bs.S, ou VES sigla oficial internacional) surge da reconversão anunciada sexta-feira pelo Presidente Nicolás Maduro e que elimina cinco zeros ao atual bolívar forte (BSF) e compreende papel-moeda de oito valores diferentes: dois, cinco, dez, 20, 50, 100, 200 e 500 Bs.S) e duas moedas metálicas (de 50 centavos e 1 Bs.S).

Por outro lado a cripto moeda venezuelana petro passa a ser de uso contabilístico obrigatório para todas as operações da empresa estatal Petróleos da Venezuela SA e o setor petrolífero, e cujo valor equivale a 3.600 bolívares soberanos.

O salário mínimo mensal dos venezuelanos e os preços dos produtos passam a ser afixados com base no valor do petro, que por sua vez está indexado ao valor do preço internacional do barril de crude e estará assente nas reservas de vários recursos naturais, como o petróleo, ouro, diamantes e gás natural.

Com a reconversão monetária que hoje entra em vigor, a Venezuela realizou nos últimos 20 anos duas operações deste tipo, substituindo ou aumentando as notas que estavam em circulação, nalguns casos introduzindo moedas metálicas.

Decretada pelo falecido líder socialista Hugo Chávez – Presidente entre 1999 e 2013 -, a primeira reconversão teve lugar em janeiro de 2008, altura em que o bolívar perdeu três zeros e foi criado o bolívar forte.

A segunda reconversão foi anunciada por Nicolás Maduro a 22 de março último com data de aplicação a 4 de junho de 2018.

A reconversão, que inicialmente eliminaria somente três zeros ao bolívar forte, foi adiada e hoje entra finalmente em vigor com a introdução do bolívar soberano e a subtração de cinco zeros à moeda até agora em vigor.

A reconversão da moeda faz parte de um contestado novo pacote económico, que o Governo acredita solucionará a crise no país e que passa pelo aumento do salário mínimo dos venezuelanos, uma subida do IVA de 12% para 16% mas com isenção de produtos e medicamentos essenciais.

As alterações contemplam ainda a imposição de um imposto às grandes transações, o aumento do preço dos combustíveis para equiparar a níveis internacionais, um novo sistema de controlo cambial e um programa de “austeridade e zero défice fiscal” cujos pormenores ainda não foram anunciados.

O Fundo Monetário Internacional prevê que a Venezuela terminará 2018 com uma inflação anual acumulada de 1.000.000%.

A falta de segurança, os baixos salários, os altos preços e a escassez de produtos e medicamentos têm levado dezenas de milhares de venezuelanos a emigrar para outros países, designadamente os vizinhos Brasil e Colômbia, mas também para o Peru e Equador.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Reconversão monetária na Venezuela. Agora há duas moedas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião