Qual é a empresa com mais trabalhadores em Portugal?

Foi fundada há 40 anos, tem sede em Lisboa e mais de 25 mil funcionários, registo que a torna na empresa com mais trabalhadores em Portugal. Sabe que empresa é?

Há 14 anos que os números do emprego não eram tão positivos em Portugal. A taxa de desemprego fixou-se no segundo trimestre deste ano nos 6,7%, a mais baixa desde 2004. Boas notícias para as famílias portuguesas. Mas sabia que perto de 3% dos trabalhadores têm o emprego assegurado por apenas dez empresas privadas? E sabe qual delas é a que mais pessoas emprega em Portugal? Duas pistas: celebra este ano 40 anos e tem sede em Lisboa.

25.209. Este é o número “mágico” que faz do Pingo Doce a empresa privada com maior número de trabalhadores em Portugal, segundo o ranking da Informa D&B. A cadeia de supermercados e hipermercados nasceu em 1978, ou seja, há 40 anos, pelas mãos de Alexandre Soares dos Santos, sendo a insígnia de referência da retalhista Jerónimo Martins em território nacional. Os mais de 25 mil trabalhadores estão distribuídos pelas 425 lojas que o Pingo Doce tem atualmente um pouco por todo o país.

A distribuição é, aliás, um dos negócios com maior presença nas posições de topo do ranking de maiores empregadores a nível nacional. Logo a seguir ao Pingo Doce surge o Modelo Continente, distando apenas em 747 no que diz respeito ao número de trabalhadores.

Ranking das 10 maiores empregadoras

Fonte: Informa D&B

A cadeia de supermercados e hipermercados tem um total de 24.462 colaboradores, ocupando assim o segundo posto entre os maiores empregadores privados a nível nacional. No final de 2017, a Modelo Continente dispunha de um total de 564 lojas distribuídas pelo Continente e Ilhas, onde desempenham funções os seus mais de 24 mil funcionários.

A dimensão da empresa — que celebra este ano 30 anos desde a sua fundação em 1988 — justifica, aliás, a intenção do grupo Sonae em cotar separadamente em bolsa esta área de negócio. Recentemente, o grupo agora liderado por Cláudia Azevedo mudou o nome da Sonae Investimentos, onde está a Modelo Continente Hipermercados, para Sonae MC, visando precisamente colocar a subsidiária de retalho alimentar em bolsa.

No top 10 de maiores empregadoras, mas com um número de trabalhadores bastante menor, figura ainda outra retalhista: a Auchan Portugal. A dona dos supermercados da marca Jumbo possui 8.143 funcionários.

Distribuição setorial do top 10 das maiores empregadoras

Fonte: Informa D&B

Conjuntamente, estas três retalhistas empregam perto de 58 mil pessoas. Ou seja, mais de 40% face aos quase 134 mil postos de trabalho disponibilizados pelas dez empresas privadas mais empregadoras.

Os recursos humanos são outra das áreas onde há empresas com maior número de trabalhadores, destacando-se em especial o trabalho temporário. A Randstad Recursos Humanos é a terceira maior empresa privada em termos do número de trabalhadores. A empresa de trabalho temporário tem associados 15.080 trabalhadores. A Kelly Services, outra empresa de trabalho temporário, tem inscritos 12.644 trabalhadores, número que a torna na sexta maior empregadora entre as empresas privadas.

Fora destas duas áreas de atividade, referência para os CTT que, com 12.787 trabalhadores, são o quarto maior empregador privado. Também a MEO e a Caixa Geral de Depósitos figuram no top 10, com 8.257 e 7.689 trabalhadores, cada.

Quanto custa produzir uma bola de Berlim? Os portugueses bebem muita cerveja? Quanto ganha um motorista da Uber? E um presidente de junta? A quem é que Portugal deve mais dinheiro? 31 dias e 31 perguntas. Durante o verão, o ECO preparou a “Sabia que…”, uma rubrica diária para dar 31 respostas.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Qual é a empresa com mais trabalhadores em Portugal?

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião