Sonae dá mais um passo para pôr o retalho na bolsa. Sonae Investimentos passa a Sonae MC SGPS

A Sonae Investimentos SGPS mudou a designação para Sonae MC SGPS S.A. Conta com ativos como os hipermercados Continente e deverá ser a empresa que Paulo Azevedo vai colocar em bolsa.

A Sonae deu mais um passo para pôr na bolsa o negócio do retalho. A Sonae Investimentos SGPS, dona da Sonae MC (que agrega ativos como os hipermercados Continente), vai passar a adotar a designação de Sonae MC SGPS S.A., de acordo com um extrato de uma ata publicado esta segunda-feira na CMVM. A alteração da designação foi aprovada por unanimidade e, ao que tudo indica, será esta a holding que Paulo Azevedo vai colocar na bolsa de Lisboa.

A empresa anunciou recentemente a intenção de pôr na bolsa um portefólio de ativos do retalho alimentar (Sonae MC) e de propriedade imobiliária (Sonae RP). Entre os ativos em causa estão os hipermercados Continente, Continente Modelo, Continente Bom Dia e Meu Super. Numa apresentação aos investidores, publicada recentemente pela multinacional, a Sonae MC é anunciada como uma “proposta de investimento sólida”.

A Sonae Investimentos SGPS era a antiga Sonae Distribuição SGPS, que já esteve em bolsa. Agora, com a designação de Sonae MC SGPS S.A., poderá voltar ao mercado de capitais, mais de dez anos depois de deixado de ser cotada. O ECO sabe que a decisão de pôr o retalho na bolsa ainda não está tomada, mas que o grupo está, mesmo assim, a adotar os passos necessários para o efeito. Com esta mudança de designação, o processo fica facilitado.

No entanto, por esta altura, tudo aponta para que a Sonae esteja determinada em voltar a pôr um portefólio de retalho na bolsa de Lisboa. Deverá ser uma das últimas missões de Paulo Azevedo à frente da companhia, com o filho de Belmiro de Azevedo a preparar-se para passar o testemunho à irmã mais nova, Cláudia Azevedo.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Sonae dá mais um passo para pôr o retalho na bolsa. Sonae Investimentos passa a Sonae MC SGPS

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião