Lisboa avança com os CTT. BCP e EDPR travam os ganhos

A bolsa portuguesa fechou a segunda sessão da semana com ganhos. Os CTT deram o maior contributo, enquanto os fracos desempenhos do BCP e da EDP Renováveis travaram a valorização.

A bolsa de Lisboa acompanhou a tendência da maioria das congéneres europeias e fechou a sessão desta terça-feira com ganhos. O índice nacional beneficiou de ganhos nos correios, mas também nas empresas de retalho, da indústria do papel, da construção e da energia. Em sentido inverso, o BCP e a EDP Renováveis travaram os ganhos.

Num dia em que o Stoxx 600 avançou 0,3%, o PSI-20 fechou com uma valorização de 0,48%, para os 5.505,06 pontos. Os CTT contribuíram de forma mais expressiva para a subida, com a empresa liderada por Francisco de Lacerda a somar 2,5% para 3,366 euros por ação, atingindo máximos de março.

Na mesma linha, a Sonae foi a estrela da sessão. A dona dos hipermercados Continente registou ganhos de 2,6%, para 98,8 cêntimos cada título, na véspera da apresentação de resultados por parte da empresa encabeçada por Paulo de Azevedo. A Sonae publicará as contas do primeiro semestre de 2018 esta quarta-feira, após o fecho do mercado de capitais.

No setor energético, nota positiva para a Galp Energia e para a EDP. A petrolífera portuguesa valorizou 0,61% para 17,455 euros, enquanto a empresa liderada por António Mexia conseguiu ganhos mais tímidos, na ordem dos 0,12%, para 3,386 euros por ação. Na construção, a Mota-Engil foi um dos melhores desempenhos do dia, tendo somado 2,31% para 2,875 euros.

Destaque também para as papeleiras. A Navigator recupera das perdas recentes, tendo somado 1,65% nesta sessão, com as ações a valerem 4,436 euros. A Semapa também avançou, registando uma valorização de 1,20%. Cada ação do grupo vale agora 18,52 euros.

Em sentido inverso, nota negativa para as ações do BCP, que travaram os ganhos nesta sessão. O banco perdeu 0,4%, para 25,2 cêntimos. Também a EDP Renováveis penalizou a negociação, com a empresa a derrapar 1,14% para 8,70 euros por ação.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Lisboa avança com os CTT. BCP e EDPR travam os ganhos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião