Ideia de negócio para agroindústria e alimentação? Acelere-a aqui

Os empreendedores serão apoiados no processo de passagem da ideia ao negócio. O projeto é financiado pelo Portugal 2020, no âmbito do Programa Operacional Competitividade e Internacional.

Atenção empreendedores: vai arrancar em setembro um programa de aceleração, para ideias de negócio nas áreas da agroindústria e alimentação. É a primeira iniciativa deste tipo do projeto AgriEmpreende, que surge depois de um concurso de ideias de negócio.

O objetivo do programa é apoiar empreendedores no processo de aceleração da ideia ao negócio. Vai desenvolver-se em três áreas distintas, entre as quais workshops, consultoria e acompanhamento, e financiamento.

Os workshops tocam nas várias fases do processo, desde a construção da proposta de valor até ao controlo de gestão. O acompanhamento será personalizado, e feito por “consultores e mentores com experiência reconhecida”, explica a entidade em comunicado. Já o financiamento, será possível angariar na apresentação final dos projetos a potenciais financiadores, onde se incluem a “banca, business angels e fundos de capital de risco”, indica a organização em comunicado.

O programa é gratuito e tem vagas para 15 empreendedores, entre eles os vencedores do concurso e os que receberam menções honrosas. Tem início a 6 de setembro na Startup Santarém e vai ter a duração de cinco semanas. Os participantes terão workshops temáticos de manhã, e trabalho acompanhado por consultores e mentores à tarde.

“Esta iniciativa está a corresponder às expectativas iniciais, que passam por afirmar a vocação empreendedora destas duas regiões e dotá-las das condições técnicas e estruturais essenciais para promover o empreendedorismo inovador e qualificado na fileira agroalimentar”, diz Carlos Lopes de Sousa, presidente do AgroCluster Ribatejo, líder do projeto.

O AgroCluster é a entidade líder e o InovCluster copromotor do projeto AgriEmpreende, que é financiado pelo Portugal 2020, no âmbito do Programa Operacional Competitividade e Internacionalização.

O Concurso de Ideias de Negócio deste projeto terá uma segunda edição, que decorre de 3 a 28 de setembro e tem como temas a concurso indústrias e tecnologias de produção, agricultura e alimentação. As candidaturas podem ser entregues até ao último dia, 28 de setembro, no portal.

Este concurso tem vários tipos de prémio a atribuir, como pré-incubação para desenvolvimento do projeto e incubação física pós início de atividade na Startup Santarém ou no Centro de Empresas Inovadoras. Os prémios monetários para os três projetos vencedores chegam a 5 mil euros para o primeiro classificado, 3 mil euros para o segundo e mil euros para o terceiro.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Ideia de negócio para agroindústria e alimentação? Acelere-a aqui

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião