Reino Unido prepara sistema próprio de GPS. Brexit pode excluí-los do Galileo

O sistema de posicionamento global que está a ser desenvolvido pela União Europeia pode não ser acessível para o Reino Unido depois do Brexit. Por isso, o país está a precaver-se e a explorar opções.

O Reino Unido está a preparar-se para se orientar sozinho. Vão investir 100 milhões de libras para começar a explorar opções, já que ainda não é claro se o país terá acesso total ao sistema de posicionamento global que está a ser desenvolvido pela União Europeia, o Galileo.

Segundo informação avançada pelo Sunday Telegraph, o ministro das Finanças britânico Philip Hammond, aprovou o investimento para estudar a criação de um sistema de satélite próprio, cujo plano deverá ser anunciado esta semana.

A Comissão Europeia já começou a excluir algumas empresas britânicas de trabalhos no Galileo, o projeto de geolocalização desenvolvido para rivalizar com o sistema norte-americano, o GPS. O investimento foi de dez mil milhões de euros, e o sistema deverá estar operacional em 2020.

O Reino Unido vai poder continuar a usar o sinal aberto do GPS europeu, mas as forças militares deverão ver o acesso negado à versão encriptada, que é mais detalhada e fornece a localização precisa. O investimento no Galileo por parte do governo britânico foi de mil milhões de libras, valor que deverão exigir que seja devolvido, caso seja mesmo excluído do sistema.

Criar um sistema de posicionamento global próprio poderá custar aos britânicos três mil milhões de libras, de acordo com as estimativas de especialistas na área citados pela Reuters.

Comentários ({{ total }})

Reino Unido prepara sistema próprio de GPS. Brexit pode excluí-los do Galileo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião