Os bastidores e a estratégia de comunicação rumo à presidência do Sporting

  • Rita Frade
  • 29 Agosto 2018

De um lado empresas de consultoria de comunicação. Do outro membros da própria direção. Conheça os responsáveis pela comunicação dos sete candidatos à presidência do Sporting.

Candidatos à presidência do Sporting. À esquerda: Fernando Tavares Pereira, Frederico Varandas, Rui Jorge Rego e Dias Ferreira. À direita: João Benedito, José Maria Ricciardi e Pedro Madeira Rodrigues.Lídia Leão

Se a voz dos candidatos à liderança do Sporting é importante, o papel que as agências de comunicação (e não só) desempenham por trás de cada um deles também é, sobretudo numa altura em que se vive um clima de grande instabilidade e incerteza em Alvalade. Mas, quem são, afinal, os responsáveis pela comunicação de cada um dos candidatos à presidência do clube?

Nomes como Frederico Varandas ou Dias Ferreira preferiram deixar o seu futuro nas mãos de empresas de consultoria de comunicação. LPM e Hill+Knowlton Strategies foram as eleitas pelos candidatos.

João Benedito, José Maria Ricciardi, Pedro Madeira Rodrigues, Rui Jorge Rego e Fernando Tavares Pereira preferiram deixar essa tarefa ao cargo de membros da própria direção da lista candidata.

E a crise que o Sporting está a viver? Será que afeta, de alguma forma, a maneira como é feita a comunicação? Para a maioria dos profissionais, não. O que realmente importa é o que está para vir.

Este é apenas “um ponto de partida para as eleições“, diz André Amaral ao ECO, diretor de comunicação da campanha de João Benedito. É preciso “otimismo e não continuar neste clima de receios, de medos e de coisas negativas“, refere o mesmo, acrescentando que têm procurado elogiar “aquilo que é bom no Sporting“.

Para a direção da lista de José Maria Ricciardi, numa resposta enviada por correio eletrónico, a crise condiciona as preocupações dos sportinguistas”. Contudo, acrescenta a mesma fonte, “tem havido grande recetividade por parte de todos para ouvirem a mensagem“.

José Diogo, mandatário e diretor de comunicação da campanha de Rui Jorge Rego, diz que, inicialmente, havia uma parte dos sócios “mais disposta a ouvir do que outra“. No entanto, acredita que “este processo eleitoral vai unir os sócios em torno daquilo que é o futuro, que é aquilo que interessa a toda a gente“.

"Este processo eleitoral vai unir os sócios em torno daquilo que é o futuro, que é aquilo que interessa a toda a gente.”

José Diogo

Mandatário e diretor de comunicação da campanha de Rui Jorge Rego

Também Luís Matos, diretor de campanha de Fernando Tavares Pereira, não esconde que sente que “há núcleos [do Sporting] que ainda estão comprometidos com o anterior presidente“. De qualquer forma, “esta campanha não ataca ninguém, porque queremos proteger o nome do Sporting“, diz Luís Matos.

Relativamente aos meios utilizados para a divulgação da campanha, os sete candidatos parecem estar igualmente em sintonia: cada um à sua maneira, mas todos fazem questão de estar presentes nas redes sociais.

Mas, também aqui, o sentimento em relação às mesmas é comum: “estamos a comunicar pelas redes sociais, embora seja uma coisa mais difusa“, uma vez que “não sabemos quem é sócio e quem não é“, diz José Diogo, uma ideia também partilhada por André Amaral.

Luís Matos afirma, inclusive, que poderiam ter-se limitado às redes sociais, aos debates, às salas de hotel e à comunicação social, por ser “mais confortável“, mas preferiram “fazer alguma coisa pela diferença“, isto é, reunirem-se com os sócios nos diferentes núcleos do país.

O diretor de campanha de Fernando Tavares Pereira acrescenta, ainda, que em “termos de comunicação” não se preocupam muito com o “onde é que vamos chegar, mas sim como e onde onde vamos estar todos os dias e nós quisemos estar, exatamente, com os sócios“.

"Em termos de comunicação, não nos preocupamos muito com o onde é que vamos chegar, mas sim como e onde vamos estar todos os dias e nós quisemos estar, exatamente, com os sócios.”

Luís Matos

Diretor de campanha de Fernando Tavares Pereira

O ECO tentou contactar a LPM (responsável pela candidatura de Frederico Varandas) e a Hill+Knowlton Strategies (responsável pela candidatura de Dias Ferreira) e ambas não quiseram prestar declarações, justificando o silêncio com as restrições contratuais com os respetivos candidatos. Em relação à comunicação de Pedro Madeira Rodrigues, as respostas não chegaram a tempo da publicação deste artigo.

Várias fontes contactadas pelo ECO avançam, ainda, que a JLM & Associados é a empresa de consultoria de comunicação responsável pela candidatura de José Maria Ricciardi, ainda que a direção da lista tenha dito que essa campanha estaria a cargo da própria entidade.

A menos de duas semanas da eleição do próximo presidente do Sporting Clube de Portugal — o ato eleitoral está marcado para 8 de setembro –, resta saber quem sairá vitorioso.

Conheça as listas:

  • Lista A – João Benedito
  • Lista B – José Maria Ricciardi
  • Lista C – Pedro Madeira Rodrigues
  • Lista D – Frederico Varandas
  • Lista E – Rui Jorge Rego
  • Lista F – Dias Ferreira
  • Lista G – Fernando Tavares Pereira

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Os bastidores e a estratégia de comunicação rumo à presidência do Sporting

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião