Ricciardi acusa adversários à presidência do Sporting de “ataques soezes”

  • ECO
  • 24 Agosto 2018

O candidato à presidência do Sporting acusa os adversários de "mau caráter e desespero" e enaltece os resultados que o antigo BESI teve enquanto liderou o banco do universo Espírito Santo.

Depois da notícia avançada esta, sexta-feira, pelo Jornal de Negócios (acesso pago), de que a Deloitte reabriu as contas de 2015 do Haitong para “corrigir erros” contabilísticos feitos pela administração de José Maria Ricciardi, o antigo banqueiro vem agora defender-se. Em comunicado, Ricciardi refere-se a estas informações como um “conjunto de falsidades que visam desvalorizar” a sua candidatura e acusa os restantes candidatos à presidência do Sporting de lhe fazerem “ataques soezes”.

Em resposta à “campanha negra com o objetivo de atingir” a sua candidatura à presidência do Sporting, Ricciardi enumera uma longa lista de feitos alcançados pelo antigo Banco Espírito Santo Investimento (BESI), que liderou até à resolução do BES, em 2014. Nesse período, diz, “os resultados do BESI foram altamente positivos, tendo os lucros atingido um montante global de 448,9 milhões de euros”.

Para além disso, acrescenta, “o BESI apresentou, entre 2006 e 2010, um retorno ao capital superior a 21%, rendibilidade nunca vista na banca nacional”. Ao mesmo tempo, “o BESI/Haitong Bank jamais foi intervencionado pelo Estado português, não foi objeto de resolução”.

Se é certo que o Haitong Bank não recebeu diretamente ajudas do Estado, é certo também que recentemente se viu obrigado a receber um aumento de capital. O BESI chegou a ser integrado no Novo Banco (que, na altura da sua criação, recebeu ajudas públicas no valor de 3,9 mil milhões de euros) em agosto de 2014, aquando da resolução do BES. Nesse ano, de acordo com os dados disponíveis no relatório e contas, o BESI reportou prejuízos de 137,6 milhões. Já em 2015, inicialmente, reportou prejuízos de 35,4 milhões.

Pouco depois da integração no Novo Banco, o BESI acabou por ser vendido ao grupo chinês Haitong, em setembro de 2015, por 379 milhões de euros, passando a chamar-se Haitong Bank. Menos de dois anos depois, em março de 2017, o Haitong Bank anunciou que teria de fazer um aumento de capital no valor de 419 milhões de euros. José Maria Ricciardi manteve-se à frente do Haitong Bank até ao final de 2016.

Agora, tal como escreve o Jornal de Negócios, a Deloitte reconheceu imparidades que a anterior administração, liderada por José Maria Ricciardi, não tinha inscrito em 2015, o que fez quase triplicar os prejuízos registados pelo banco nesse ano. Os prejuízos de 2015 serão então de 98,3 milhões e não de 35,4 milhões, como inicialmente reportado.

Ricciardi considera, contudo, que estas informações se tratam de ataques. “Os ataques soezes de que estou a ser alvo só demonstram o mau caráter e o desespero de alguns candidatos. Os sportinguistas não se deixarão enganar quanto às minhas capacidades de liderança e gestão do clube, característica fundamental que não reconheço em qualquer outra candidatura”.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Ricciardi acusa adversários à presidência do Sporting de “ataques soezes”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião