“É evidente que ninguém procurou congelar qualquer conta bancária do Sporting”, diz Bruno de Carvalho

Bruno de Carvalho defendeu-se da queixa feita pela Comissão de Gestão do Sporting. O ex-presidente do Sporting disse tratar-se de uma acusação com o objetivo último de "lavagem cerebral dos públicos".

De acordo com a Comissão de Gestão do Sporting Clube de Portugal, Bruno Carvalho terá tentado congelar as contas bancárias do clube. A Comissão anunciou, ontem à noite, que avançou com uma queixa-crime “por fraude e usurpação de funções” junto do Ministério Público. Bruno de Carvalho vem agora defender-se, dizendo que não houve qualquer tentativa de bloqueamento das contas.

“É evidente que ninguém procurou congelar qualquer conta bancária do Sporting”, escreveu o ex-presidente do Sporting num comunicado divulgado no Facebook, respondendo à acusação levantada pela Comissão.

“Foram os membros da direção em exercício, surpreendidos por mais uma grotesca e solene minuta dos comissários de Jaime Marta Soares, que falando em nome do clube e como se fossem a sua direção em exercício, vêm fazer novo exercício de despudorada desonestidade intelectual, invocando participações por crimes inexistentes”, pode ler-se no comunicado que Bruno de Carvalho assina como “Presidente do Conselho Diretivo do Sporting Clube de Portugal”.

Bruno de Carvalho classifica a queixa como”mais uma manifestação maculada pela crassa ignorância”, com o objetivo de originar “conversas de taberna em antenas de televisão onde se procura a lavagem cerebral dos públicos que a isso se submetam”.

Ontem, a Comissão de Gestão do clube leonino disse que o ato de Bruno de Carvalho “não obteve sucesso”, uma vez que as entidades bancárias se recusaram a “participar nesta tentativa de fraude”. A mesma entidade apelidou a tentativa de congelamento das contas como uma “manifestação de desespero de quem já não respeita nada nem ninguém”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

“É evidente que ninguém procurou congelar qualquer conta bancária do Sporting”, diz Bruno de Carvalho

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião