Tecnologia: Quer uma selfie com Marcelo? Agora há uma app, a Marcelfie

Já existe uma app que permite a qualquer português ter uma fotografia com o Presidente Marcelo. Mais de metade dos portugueses quer uma Marcelfie, segundo um estudo recente.

A aplicação Marcelfie é gratuita e foi lançada esta sexta-feira.Mosca Digital

Marcelo Rebelo de Sousa até pode ser conhecido pelos afetos, mas nem todos os portugueses conseguem privar com o chefe de Estado — e tirar a famosa “selfie à Marcelo”. Numa semana em que o Presidente da República está de férias e surge nas televisões a dar uns mergulhos, uma agência de comunicação de Lisboa acaba de lançar uma app que permite a qualquer português tirar… uma Marcelfie.

A aplicação usa a câmara do telemóvel para sobrepor à fotografia uma imagem de Marcelo Rebelo de Sousa. Há várias poses disponíveis e é o utilizador quem escolhe qual melhor se adapta ao plano e ao cenário. Após o clique, o utilizador decide se ficou bem ou ficou mal. Se o resultado final for o esperado, a aplicação permite partilhar a Marcelfie diretamente nas principais redes sociais. Já está disponível gratuitamente para Android e, em breve, deverá surgir a versão para iOS.

Apesar de ser como um jogo, a ideia tem um argumento sólido. No último sábado, uma sondagem da Eurosondagem, citada pelo semanário Expresso (acesso pago), revelou que 52,5% dos inquiridos querem uma foto com o Presidente. Aliás, o mesmo estudo apontou que 3,3% dos participantes já tinham uma fotografia com o chefe de Estado.

Esta foi uma ideia da agência Mosca Digital, que ficou conhecida pelo jogo que convidava os internautas a ajudarem Madonna a estacionar um carro em Lisboa. A ideia teve como mote a polémica em torno da cedência de espaço para estacionamento à Rainha do Pop, alegadamente a um custo inferior ao do mercado. A empresa tem como sócio o deputado social-democrata Duarte Marques, com uma participação de 5%.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Tecnologia: Quer uma selfie com Marcelo? Agora há uma app, a Marcelfie

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião