Banco de Portugal quer alertar jovens para a educação financeira. Até abriu conta no Instagram

  • Rita Frade
  • 3 Setembro 2018

BdP aproveita arranque do ano letivo para alertar os jovens para os riscos resultantes da má utilização dos canais digitais. Para isso, abre conta no Instagram.

O novo ano letivo está prestes a começar e, por isso, o Banco de Portugal aproveita o mote para alertar os jovens para os riscos resultantes da má utilização dos canais digitais. Para isso, até já abriu conta no Instagram, rede social privilegiada pelo banco para publicar as suas dicas de educação financeira digital (para além do Portal do Cliente Bancário), uma vez que é nela que se encontra grande parte da camada jovem.

Hoje em dia, “os canais digitais permitem ao cliente bancário aceder (…) a produtos e serviços financeiros em qualquer altura e em qualquer lugar“, mas a sua utilização “também acarreta riscos relacionados com a segurança das operações“, diz o banco em comunicado.

Segundo o Banco de Portugal, os “jovens são o segmento da população que mais capacidade e facilidade tem no uso das novas tecnologias“, mas também “tendem a ser mais confiantes, o que os pode levar a descurar algumas regras de segurança na utilização de canais digitais“.

Através da #ficaadica, o banco pretende, assim, “criar um movimento de promoção da educação financeira digital“, dando aos mais jovens dicas sobre cinco temas diferentes, durante cinco semanas.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Banco de Portugal quer alertar jovens para a educação financeira. Até abriu conta no Instagram

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião